• Outubro de 2017
Home / Notícias

Investimentos do varejo sobem 12% no ano, diz Anbima

Os investimentos dos clientes do varejo em fundos e produtos de tesouraria cresceram 12% no ano até setembro, na comparação com dezembro do ano passado, somando R$ 595,5 bilhões, segundo relatório trimestral do varejo divulgado nesta segunda-feira, 01, pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais (Anbima). No período, o número de clientes também cresceu 4,4%, passando de 7,2 milhões para 7,5 milhões.

O destaque do período foi o crescimento de 13,9% nos investimentos em produtos de tesouraria, que subiram de R$ 289,7 bilhões em dezembro do ano passado, para R$ 329,9 bilhões em setembro deste ano. Com isso, a participação dos produtos de tesouraria na carteira dos clientes do varejo passou de 54% para 55%.

Os investimentos dos clientes em fundos de investimento cresceram 9,8% até setembro, na comparação com dezembro do ano passado, passando de R$ 242,0 bilhões para R$ 265,6 bilhões. Apesar da alta, a participação dos fundos nas carteiras teve leve redução, passando de 46% para 45%.

"O comportamento das carteiras dos clientes do varejo neste ano sofreu forte influência do cenário de instabilidade e refletiu a aversão ao risco e a necessidade de permanecer em produtos conservadores", afirma Marcos Daré, presidente do Comitê do Varejo na nota distribuída pela Anbima.

Fundos de Investimento e Tesouraria

Os clientes dos fundos concentraram os seus investimentos em fundos DI, elevando a participação desses fundos para 43,7% nas carteiras em setembro, contra 38,4% em dezembro do ano passado. Na distribuição de clientes também houve crescimento. Em dezembro, 35,8% dos clientes do varejo investiam em fundos DI. Agora, a parcela subiu para 36,8%.

Entre os produtos de tesouraria, os isentos, como LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e LCA (Letra de Crédito Agrícola) já representam 45,5% da carteira dos clientes em produtos de tesouraria em setembro deste ano. Em dezembro do ano passado, o volume era de 36,7%. Com isso, a participação dos isentos no total de clientes atendidos pelo varejo também cresceu, passando de 15,9% para 22,3% em setembro deste ano.

Varejo de alta renda

De acordo com a Anbima, o varejo de alta renda continua concentrando o maior volume de investimentos, tendo registrado crescimento de 11,6% neste ano, passando de R$ 341,4 bilhões no ano passado para R$ 380,8 bilhões neste ano.

O relatório da Anbima afirma que o público de varejo, que é em número maior do que o de alta renda, teve alta de 4,1% no período, com 5,1 milhões de clientes atendidos em setembro deste ano, ante 4,9 milhões do ano passado.