• Outubro de 2017
Home / Notícias

Vendas no varejo crescem 4% em setembro em SP, aponta Balanço da Associação Comercial

O varejo paulistano apresentou, em setembro, aumento médio de 4% nas vendas à vista e a prazo em relação ao mesmo período de 2013, revela o Balanço de Vendas da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

O resultado positivo se deve ao efeito-calendário: setembro deste ano contou com dois dias úteis a mais do que no ano passado, ajudando a compensar as perdas para o varejo no 1º semestre, decorrentes de feriados e alterações de horário comercial durante a Copa.

As vendas a prazo, de acordo com o IMC (Indicador de Movimento do Comércio a Prazo), foram melhor do que as comercializações à vista e aumentaram 6,2% ante 2013.

Já as vendas à vista avançaram 1,7% em setembro na comparação anual, segundo o ICH (Indicador de Movimento de Cheques). O presidente da ACSP, Rogério Amato, explica esse aumento moderado. "O consumidor não dispõe de sobra no orçamento para adquirir bens de menor valor - ele está retraído nas compras", diz Amato, que também é presidente da Facesp (Federação das Associações Comerciais do Estado de SP) e presidente-interino da CACB (Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil).

Comparação mensal

Em relação a agosto, as vendas a prazo aumentaram 3,8% em setembro, com o mesmo número de dias úteis. O resultado positivo se deve à base fraca de comparação, já que em agosto as comercializações a crédito não tiveram bom desempenho, uma vez que os consumidores optaram por itens de menor valor comprados à vista para o Dia dos Pais.

Na contramão, as vendas à vista registraram forte queda, de 10,8%, pela base forte de comparação. Houve o fenômeno oposto ao explicado acima, ou seja, as vendas à vista foram bem em agosto por conta dos presentes para os pais.

Acumulado

Nos primeiros nove meses de 2014, as vendas a prazo e à vista tiveram altas moderadas de 1,5% e 1,8%, respectivamente, acompanhando a desaceleração do crédito e da massa salarial.

Inadimplência

Em setembro, o IRI (Indicador de Registro de Inadimplentes), que mede a entrada de registro de consumidores inadimplentes, mostrou leve alta de 1,7% ante agosto e expressiva alta de 8,5% em relação a setembro de 2013. Os aumentos sugerem que não há sobra no orçamento do consumidor para que ele quite prestações já contratadas.

Já o IRC (Indicador de Recuperação de Crédito), que aponta os cancelamentos de dívidas, registrou forte crescimentos de 20,3% ante agosto, decorrente do início de campanhas de renegociação de dívida e da 1ª parcela do 13º salário para os aposentados. Em relação ao ano passado, houve aumento de 1,8% nos cancelamentos, abaixo do IRI, o que indica leve alta na inadimplência em setembro de 2014.

O Instituto de Economia da ACSP - que elabora o Balanço de Vendas - destaca que essa alta não preocupa porque a inadimplência vem caindo há cerca de dois anos e está em patamar satisfatório. Outros fatores que afastam a preocupação com a inadimplência são a estabilidade nas taxas de desemprego; a expectativa positiva para os próximos meses, que contarão com os pagamentos do 13º salário; e a maior seletividade na concessão de crédito.

Os dados do Balanço de Vendas da ACSP são feitos a partir de amostra fornecida pela Boa Vista Serviços.