• Setembro de 2017
Home / Notícias

Mesmo com varejo desacelerado, Beauty Fair movimenta R$ 500 milhões

Os lançamentos fazem parte da estratégia do setor de higiene e beleza. De acordo com dados de pesquisa da Beauty Fair, realizada pela Nielsen, foram lançados 2.102 produtos de julho 2013 até julho de 2014 de higiene e beleza no varejo supermercadista, enquanto a média de lançamentos de outros produtos (alimentos, bebidas, produtos de limpeza) foi de 960.

Movido pela ascensão da classe C, até 2010, o mercado de higiene e beleza crescia a taxas próximas a 20%, impulsionado pelo aumento da penetração de produtos nos lares brasileiros. Xampu, sabonete e desodorantes atingem cerca de 100% de presença nos lares. No entanto, este cenário começa a mudar. A última pesquisa do segundo trimestre deste ano da Nielsen mostra que as vendas nos supermercados tiveram uma retração ficando na casa dos 4,8% perante 6,4% do primeiro trimestre de 2014, ou seja, a desaceleração nas vendas começa a acontecer.

“Não vamos fechar o setor na casa dos dois dígitos como ocorria antigamente. Os esforços têm sido bem maiores para a manutenção das vendas. Por isso a Beauty Fair torna-se um canal importante para o mercado já que ele é movido por lançamentos e inovações”, explica César Tsukuda, superintendente da Beauty Fair.

De fato, a Beauty Fair, que comemorou 10 anos e ocorreu entre os dias 6 e 9 de setembro, fechou seu balanço positivamente. Veja alguns números:

- 148 mil visitas (profissionais e lojistas do setor);
- 27 mil profissionais vindos com as caravanas;
- 500 expositores;
- 1000 marcas nacionais e internacionais,
- R$ 500 milhões em volume de negócios
- 100 eventos educacionais.

O evento contou com visitação dos principais players do mercado de beleza no país reunindo lojistas, supermercadistas, magazines, atacadistas e da indústria, além da participação de importantes empresas do segmento nacional e internacional como Schwarzkopf, Unilever, L’Oréal Paris, Embelleze, Alfaparf, ItallianHairtech, Adcos, Ibramed, KLD, Bel Col, Inoar, Hypermarcas, Taiff, Vult Cosmética e Beauty Color, entre outras. A Beauty Fair atraiu novamente muitas marcas estrangeiras, interessadas no mercado brasileiro. São empresas vindas da China, Itália, Paquistão, Polônia, Tailândia, Coréia, França e Ucrânia.

César Tsukuda destacou o desenvolvimento da feira nestes anos. “Há uma década, ocupávamos 12 mil metros quadrados e hoje são 82 mil metros quadrados com empresas fazendo negócios, profissionais capacitando-se, empreendendo e todos movimentando o mercado”.

DESTAQUES

Fóruns - De fato, seguindo a linha de empreendedorismo e capacitação, a Beauty Fair promoveu o Fórum de Negócios para reunir os principais empresários de lojas de perfumarias multimarcas do país, com curadoria educacional da GS&MD, tendo participações do economista Eduardo Gianetti da Fonseca e Enéas Pestana, ex-CEO do Grupo Pão de Açúcar. Olegário Araújo, diretor da Nielsen, também apresentou uma pesquisa encomendada pela Beauty Fair sobre o mercado da beleza. Houve também um Fórum de Distribuidores de Produtos Profissionais com palestras focadas na melhoria das relações entre indústria-distribuidor/Distribuidor-Cliente, com curadoria educacional do GV-CEV (FGV-SP).

Tecnoloja - Pensando em melhorar ainda mais a experiência de compra dos clientes, bem como a gestão do negócio, os organizadores da feira também idealizaram uma Tecnoloja. O espaço, equipado com a etiqueta inteligente (RFID), pode demonstrar mais de vinte tecnologias disponíveis (e de possível implementação até para o pequeno empresário) para os donos de lojas no varejo. Para se ter uma ideia, os visitantes tinham desde e etiquetas digitais de preços a catálogos interativos em que o cliente escolhe um batom, por exemplo, e outros produtos que combinem, aparecem na tela.

Nail Container – Uma das grandes sacadas da feira foi montar um espaço somente para a área de esmaltes, o produto de higiene e beleza que mais cresceu durante os 20 anos de Plano Real, de acordo com dados da Nielsen. No espaço, foi idealizado um negócio sustentável para empreendedores. Foi apresentado um container que se transforma em uma esmalteria. Além do designer inovador a grande ‘sacada’ é a mobilidade do negócio e a experiência que ela traz. O projeto possibilita que o dono do negócio feche o container nail e transporte para outros locais .

Salão SEBRAE: Em parceria com o SEBRAE a Beauty Fair montou um espaço dedicado aos empreendedores. Nesta área mostraram como melhorar a gestão, a produtividade e a inovação nos salões de beleza. A visita ao espaço promoveu reflexões sobre o simbolismo da cadeira de cabeleireiro nos lucros do negócio, já que os serviços de cabelo representam 70% do faturamento do salão. O interessante para os visitantes também foi a importância do uso consciente de insumos, como cremes e tinturas, evitando o desperdício e garantindo o melhor atendimento através da mensuração do crescimento da raiz e da medição do volume dos fios.

Fonte: Agência IN