• Outubro de 2017
Home / Notícias

Feira Brasileira do Varejo aposta em megatendências

Em meio a um período turbulento para o setor, a 5ª Feira Brasileira do Varejo (FBV) pretende alavancar a inovação com o uso das tecnologias voltadas ao segmento. Com 90 metros quadrados e três ambientes, uma Trend Store foi preparada para a mostra e contará com nove pontos de experiências ligadas a tradicionais marcas da área tecnológica, como SAP e Linx. O evento ocorre de 12 a 14 de julho, no Centro de Eventos do BarraShoppingSul. A loja, criada em parceria com a Lebes, estará aberta nos três dias da mostra, das 10h às 21h, para visitação do público em horário agendado. Entre os destaques da feira estará um robô que realiza a leitura de códigos de barra, criado pela empresa Future Media. O diferencial do equipamento é a armazenagem de informações bastante específicas, que atendentes de loja, geralmente, não têm acesso. A intenção da tecnologia não é substituir os vendedores, segundo o presidente do Sindilojas, uma das entidades promotoras da feira, Paulo Kruse. "O robô complementa informações", afirma, ao lembrar que cada vez mais as pessoas compram pela internet pela facilidade de comparar preços e informações. Em consonância com a proposta tecnológica da loja estão algumas das principais palestras da mostra. Já no primeiro dia, o público será convidado a refletir sobre as mudanças necessárias para atender o consumidor digital, em palestra com o CEO da Livraria Cultura, Sérgio Herz. No mesmo dia, a transformação digital do varejo será abordada com a presença do fundador da Varese Retail, Alberto Serrentino. A inovação tecnológica, porém, não é a única megatendência abordada pela feira. Preocupada com a sustentabilidade e com a intenção de fortalecer os vínculos da cadeia têxtil do Estado, acontece a RS Moda, concomitantemente à FBV. De acordo com a empresária e presidente do Sindicato das Indústrias do Vestuário do Estado do Rio Grande do Sul (Sivergs), Dóris Spohr, a moda e a sustentabilidade precisam andar lado a lado. "A própria alta costura é sustentável em si, um modelo utilizado em 1970 segue intacto ainda atualmente por uma questão de materiais", explica. A feira terá uma abordagem que busca disseminar na cadeia têxtil a intenção do consumidor em estar cada vez mais conectado com a natureza e com a intenção de fomentar a economia local. Essa tendência não parece estar sendo acompanhada por completo pelo varejo, já que fabricantes gaúchos perderam R$ 4,6 bilhões em vendas para a indústria da moda de Santa Catarina, Paraná e São Paulo em 2015, de acordo com pesquisa da Fecomércio-RS. A FBV e a RS Moda pretendem dar o pontapé inicial na reversão deste quadro, ao colocar varejo e indústria em um mesmo espaço. O lançamento da feira acontece hoje, às 19h30min, em coquetel no Galpão Crioulo do Palácio Piratini, lembrou o presidente da FBV, Ronaldo Sielichow.