• Novembro de 2017
Home / Notícias

Notícias

Especialista da Serasa Experian explica uso da tecnologia no ambiente virtual

O certificado digital é uma identidade virtual que permite identificar, de forma segura e inequívoca, o autor de uma mensagem ou transação feita em meios eletrônicos. Nem todo mundo sabe, por trás dessa tecnologia que torna muitos processos mais ágeis, seguros e baratos, está a criptografia. “O certificado digital é gerado e assinado por uma Autoridade Certificadora, como a Serasa Experian, que segue regras estabelecidas pelo Comitê Gestor da ICP-Brasil e associa cada titular a um par de chaves criptográficas”, afirma Mauricio Balassiano, diretor de certificação digital da Serasa Experia. Entenda como isso acontece neste pequeno manual de perguntas e respostas.

1 - O que é criptografia?
Criptografia (do grego kryptós, "escondido", e gráphein, "escrita") é uma forma sistemática de esconder a informação ao tornar um texto ou uma mensagem incompreensível. No certificado digital, essa codificação é executada por um programa de computador que realiza um conjunto de operações matemáticas, inserindo uma chave secreta na mensagem.

2 - Como o certificado digital utiliza criptografia?
Com uso de certificado digital, o emissor, envia um texto cifrado que terá de ser reprocessado pelo receptor para novamente ser transformado em texto legível. Esse reprocessamento ocorre apenas se o receptor tiver a chave correta para decodificar a mensagem. Ou seja, na prática, assinatura digital, por meio da criptografia, garante a integridade e a comprovação da autoria do documento.

3 – Qual o principal benefício da assinatura digital?
Todo mundo quer ganhar mais eficiência, fazer comunicação remota, reduzir custos. A contrapartida é que surgem vulnerabilidades que exigem a identificação dos clientes e dos funcionários. A identificação segura e com validade jurídica, conferida pela certificação digital, protege os dados pessoais e estimula a transformação digital nos mais diferentes setores da economia, contribuindo para a transparência, eficiência e menos burocracia.

4 – Em que setores a certificação digital é mais utilizada atualmente?
A certificação digital já é amplamente adotada pelas aplicações do setor público e também do judiciário, rendendo a eles enormes avanços. Os benefícios da transformação digital, com suporte jurídico, já estão sendo identificados também por outros importantes setores da economia, entre eles o setor de Saúde, Financeiro e de Serviços.

5 - Que informações o certificado digital carrega?
As principais informações que um certificado digital carrega são chave do titular, nome e endereço de e-mail, período de validade do certificado, nome da Autoridade Certificadora que emitiu o certificado, como Serasa Experian, número de série e assinatura digital da Autoridade Certificadora.

6 - O que são tokens e smart cards?
São dispositivos portáteis que funcionam como mídias armazenadoras. Em seus chips ficam guardadas as chaves dos usuários. O acesso a essas informações é feito por meio de uma senha pessoal, determinada pelo titular. O smart card é como um cartão magnético e depende de um aparelho leitor para funcionar. O token é como um pendrive que pode ser inserido diretamente na entrada USB do computador.

7 - Que cuidados devemos tomar ao utilizar a certificação digital?
Primeiramente, lembre-se que o certificado digital representa a sua “identidade” no mundo virtual. Se você compartilhar sua senha, poderá permitir que outra pessoa utilize o certificado para fechar negócios ou fazer transações bancárias no seu lugar, por exemplo.
Outra recomendação importante é a de utilizar uma senha longa, que intercale letras e números. Lembre-se de que existem programas com a função de desvendar senhas. Também é importante evitar o uso de dados pessoais como nome de cônjuge ou de filhos, datas de aniversários, endereços, telefones, ou outros elementos relacionados com a própria pessoa.

Posts Recentes