• Outubro de 2017
Home / Notícias

Méliuz amplia atuação para 2.000 lojas físicas em MG, RJ e SP

A empresa mineira Méliuz ampliou sua atuação para lojas físicas. O serviço de retornar uma porcentagem do valor de compras aos consumidores, que antes ocorria somente no e-commerce, agora está ativo em aproximadamente 2.000 pontos de venda de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. Para ter o retorno, o cliente precisa pedir, na hora de pagar, para usar uma máquina de cartão da própria startup.

A iniciativa de ir além do e-commerce começou em setembro de 2016, quando a empresa atuou de maneira experimental com o modelo no sul de Minas. Na época, o serviço era só utilizado por supermercados. "A gente queria ver como seria a aceitação do Méliuz no varejo físico", conta o CFO da startup, Ofli Guimarães. Em março deste ano, com o modelo validado, a empresa ampliou sua atuação para os demais setores do varejo, em 500 lojas de oito cidades de Minas Gerais. No mês passado, a expansão continuou para 1.000 lojas na capital paulista e, em maio, mais 500 no Rio de Janeiro.

Com atuação restrita à Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo, a Méliuz quer chegar a mais três capitais até o meio do ano, entre elas, Brasília e Porto Alegre. Outra perspectiva da startup é de aumentar o número de lojas. "Queremos parceria com varejos tradicionais de cada local", conta Guimarães.

O principal motivo da mudança era se aproximar mais do dia-a-dia do consumidor. "O e-commerce ainda é uma fatia muito pequena do consumo do brasileiro", afirma Guimarães. Apesar de, segundo ele, a Méliuz ter participação de 2% em tudo que é vendido na internet do País, a startup queria criar um modelo com as lojas físicas. Hoje, a empresa tem parceria com supermercados, restaurantes, bares, drogarias e postos de gasolina.

"A quantia já é confirmada no extrato na hora em que a compra for feita, mas [consumidor] tem que ter pelo menos R$ 20 para resgatar", diz Guimarães. Nas compras online, há um tempo maior de espera para o valor aparecer, já que, segundo o CFO, os estabelecimentos parceiros aguardam a pessoa receber o produto para dar baixa no sistema.