• Novembro de 2017
Home / Notícias

Notícias

Comércio do Rio vendeu menos 6,6% em 2016, diz CDL

As vendas do comércio na Cidade do Rio de Janeiro registraram queda de 6,6% no acumulado de janeiro a dezembro de 2016 em relação ao mesmo período de 2015, de acordo com a pesquisa Termômetro de Vendas divulgada mensalmente pelo Centro de Estudos do Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro (CDLRio). Segundo a entidade, foram ouvidas cerca de 750 estabelecimentos comerciais. Foi o pior resultado para o ano desde 2003.

A pesquisa mostra também que em dezembro as vendas recuaram 3,3% em comparação com o mesmo mês do ano anterior. Foi o décimo segundo resultado negativo de 2016 e o pior para o mês de dezembro desde 2006.

Segundo a pesquisa, em dezembro, todos os segmentos apresentaram resultados negativos: tecidos (-12,2%), calçados (-7,4%) confecções (-6,6%), móveis (-5,5%), óticas (-5,7%), eletrodomésticos (-2,1%) e jóias (-7,3%). Quanto à forma de pagamento as vendas a prazo com menos 2,3% ficaram à frente das vendas à vista com menos 4,5%.

Ainda de acordo com o CDL, outro fator que colaborou para a queda das vendas em 2016, principalmente das lojas de rua, foram a violência e as obras e mudanças de trânsito ocorridas durante o ano, especialmente no Centro e na Zona Sul, que dificultaram os consumidores de efetuarem suas compras.

Para o presidente do CDLRio, Aldo Gonçalves, o resultado negativo de 2016 foi bastante prejudicado pelo momento difícil por que passa o país, com queda do nível do emprego e da renda, que desestimularam os consumidores para as compras, ampliada pela situação caótica do Estado do Rio de Janeiro.

“O efeito perverso desse quadro é que todas as datas comemorativas do comércio no ano passado, com o Dia das Mães, dos Pais, das Crianças, dos Namorados, da Páscoa e o próprio Natal – a maior de todas elas e responsável por um terço do faturamento anual do comércio, tiveram desempenho das vendas menor do que em 2015”, conclui Aldo.

Em relação às vendas conforme a localização dos estabelecimentos comerciais, nos bens não duráveis, as lojas do Centro venderam menos 9,5%, as da Zona Sul menos 8,8% e as da Zona Norte menos 4,8%. Entre os bens duráveis, as lojas do Centro faturaram menos 4%, as da Zona Sul menos 3,3% e as da Zona Norte menos 1,7%.

Inadimplência crescendo

A pesquisa mostra também que a inadimplência no comércio lojista da Cidade do Rio de Janeiro cresceu 2,3% em dezembro em relação ao mesmo mês do ano passado. Foi o maior índice de aumento para o mês desde 2007, de acordo com os registros do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) do Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro (CDLRio). As consultas, item que indica o movimento do comércio, diminuíram 4,2% e as dívidas quitadas, que mostram o número de consumidores que colocaram suas dívidas em dia, cresceram 0,6%.

Na comparação de dezembro com o mês anterior (novembro), as consultas e as dívidas quitadas aumentaram, respectivamente, 10,1% e 37% e a inadimplência diminuiu 3,9%.

No acumulado de 2016 (janeiro/dezembro) em comparação ao mesmo período de 2015, as consultas e as dívidas quitadas recuaram, respectivamente, 6,6% e 1,6% e a inadimplência cresceu 2,1%.

Movimento de Cheque

Segundo o LIG Cheque, registro de cadastro do CDLRio, em dezembro de 2016 em relação ao mesmo mês de 2015, a inadimplência aumentou 1,7% e as consultas e as dívidas quitadas diminuíram, respectivamente, 3,2% e 0,5%.

Comparando-se dezembro com o mês anterior (novembro) as consultas e as dívidas quitadas cresceram, respectivamente, 28,6% e 10,2% e a inadimplência diminuiu 1,6%.

No acumulado do ano (janeiro/dezembro) em relação ao mesmo período de 2015, as consultas e as dívidas quitadas diminuíram, respectivamente, 10,2% e 1,1%, e a inadimplência aumentou 1,8 %.

Fonte: G1

Posts Recentes