• Outubro de 2018
Home / Notícias

Notícias

Pesquisa mostra novos hábitos no supermercado em tempos de crise

Para entender melhor o comportamento dos consumidores nos supermercados em tempos de recessão, a Agência 96 desenvolveu a pesquisa “Shopper, Supermercado e Promoção: um ecossistema essencial para marcas durante a crise”. O levantamento detectou diversos hábitos que passaram a fazer parte do dia-a-dia dos clientes no ponto de venda.

Planejar as compras ganhou força no hábito dos consumidores. De acordo com o estudo, 86% preparam lista de compras (50% algumas vezes e 36% sempre). Mas apesar de irem às compras munidos da listinha, apenas 7% a seguem estritamente. Os consumidores de renda mais alta são os que mais cumprem à risca o planejamento prévio – 11%.

“Os dados mostram que ainda existe muita compra a ser decidida no PDV, uma boa notícia para as marcas que investem em ações promocionais e ativação no ponto de venda”, destaca Pérola Freeman, sócia e diretora da Agência 96, especializada em live marketing.

Sozinho ou em bando – A pesquisa mostra que 44% costumam fazer compras com parceiro , 24% sozinhos e 14% com a família. Os consumidores de alta renda fazem mais compras sozinhos do que a média: 35%.

O comportamento de compra também varia de acordo com a companhia. Homens sozinhos são menos organizados no planejamento, mas tendem a ser mais fieis à lista de compras: 52% costumam levar listinha, e quando levam, 85% seguem grande parte do pré-estabelecido. Já as mulheres planejam mais, mas são menos “fieis”: 73% afirmaram levar lista, porém apenas 64% seguem o que está escrito.

Já o comportamento de famílias no supermercados é mais imprevisível: enquanto 81% levam a lista de compras, apenas 32% seguem o planejamento. Com filhos de até 10 anos, apenas 20% compram o que estava planejado.

A primeira fase da enquete foi feita com 819 consumidores de todo Brasil através da plataforma mobile Bonusquest. A segunda fase entrevistou 126 consumidores em super e hipermercados de São Paulo, em setembro.

Prazer ou obrigação?

De acordo com o levantamento, 45% dos entrevistados declaram dedicar tempo das compras para pesquisar novos produtos ou marcas. Entre as pessoas de alta renda esse índice sobe para 49%.

O momento de compra é visto como uma “obrigação” por 61% dos consumidores. Outros 39% classificam como uma atividade prazerosa - um momento de relaxamento (18%), uma atividade de lazer (12%) ou um passatempo (9%).

Quem vê prazer nas compras dedica mais tempo para conhecer novas marcas (59% contra 42% de quem vê como obrigação). Também falam mais com promotoras (50% contra 38% de quem vê como obrigação); 81% trocam de marca apenas para participar de uma promoção (contra 70% de quem vê como obrigação); e 76% compram um produto apenas para concorrer a prêmios (contra 63% de quem vê como obrigação).

"Quanto melhor for a experiência de compra no PDV, mais consumidores irão encarar o momento como um momento de prazer e mais abertos estarão para conhecer novas marcas e participar de promoções", diz Pérola Freeman.

Degustação e abordagem

A pesquisa também mostra que 43% dos consumidores param para falar com promotoras durante as compras. Entre os clientes mais maduros, de 46 a 60 anos, esse índice sobe para 53%. Quanto maior a renda, maior a aderência (Classe A – 45%; Classe B1 - 44%; Classe B2 – 43%; Classe C1 – 39%; e Classe C2 – 37%).

Consumidores de alta renda são os que mais decidem comprar um produto novo (31%) ou item que não precisava (25%). Já os consumidores de Classe C, são os que mais trocam de marca (25%) e que mais compram mais unidades de um produto que já iam comprar (31%).

Posts Recentes