• Outubro de 2017
Home / Notícias

Índice Fipe Buscapé aponta para deflação no e-commerce brasileiro

O Índice Fipe Buscapé, que mede a variação dos preços no comércio eletrônico, registrou inflação de 3% em outubro, na comparação com o mesmo mês do ano passado. Em relação a setembro deste ano, houve deflação de 0,78%. Após uma escalada ao longo de 2015 – que chegou a quase 11% no início de 2016 - as variações anuais começam a crescer menos a partir do segundo trimestre, e tendem a -0,5% no acumulado de 2016.

Mesmo com 114 das 150 categorias que compõem a cesta de produtos do e-commerce tendo registrado aumento de preços em outubro, a deflação foi alavancada pela redução de preços dos produtos das categorias telefonia (-2,38%), eletrônicos (-1,46%), fotografia (-1,13%), moda e acessórios (-0,83%) e informática (-0,66%).

Entre os fatores que explicam a deflação registrada pelo indice em outubro estão, segundo Sandoval Martins, CEO do Buscapé, o lançamento da nova linha de celulares da Apple, que provocou a redução de preços de outros modelos da categoria telefonia celular e as promoções praticadas pelos e-commerces de moda e acessórios na queima de estoque das coleções de inverno.

Segundo o executivo, mudanças no cenário político e econômico, que reverteram a disparada do dólar ocorrida no início do ano, também contribuíram para este cenário.

No campo oposto, a onda de calor registrada em meados de outubro impactou no aumento de preço de ventiladores e aparelhos de ar-condicionado. Esses dois itens foram os vilões da categoria eletrodomésticos, que registrou alta de 5,65% no período.

Martins também alerta que o índice mostra que os varejistas não aumentaram seus preços para reduzir na Black Friday, que acontece em 25 de novembro. “A data consolidou-se no calendário do varejo e as empresas do varejo eletrônico estão levando a sério a proposta de oferecer descontos reais”, disse.

Preços gerais

Em relação ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), medido mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a atual projeção da pesquisa Focus, do Banco Central, aponta para o fechamento de 2016 com variação de 6,9%. Configurando-se estas perspectivas, os preços do comércio eletrônico deverão encerrar 2016 com crescimento de preços de 7% a 8% inferior aos preços gerais.

Fonte: IDG Now