• Novembro de 2017
Home / Notícias

Notícias

Ceará ganha programas para expansão da indústria

A indústria do Ceará passou a fazer parte, nesta sexta-feira (23), do Plano Nacional da Cultura Exportadora (PNCE) e do programa Brasil Mais Produtivo, do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

O principal objetivo das iniciativas é a melhoria dos processos produtivos das empresas, de forma que possam ampliar a entrada de mercadorias da região no comércio internacional. O Ceará é o 19º estado a receber o PNCE e oitavo a ser incluído no Brasil Mais Produtivo.

Considerando o momento desafiador e a necessidade de reinvenção de alguns instrumentos de política industrial, o MDIC direcionou esforços para desenhar um programa de intervenções rápidas, de baixo custo, para impactar a produtividade da indústria.

Nessa linha, nasceu o Programa Brasil Mais Produtivo, destinado a atender 3 mil empresas em todos os estados até 2017, com o objetivo de aumentar em, pelo menos, 20% a produtividade das empresas atendidas. No Ceará, pelo menos 120 empreendimentos serão atendidos.

A região é estratégica para o crescimento do comércio exterior no Brasil, já que sedia uma das 19 zonas de processamento de exportações (ZPEs) em processo de implantação no País.

O Ceará apresenta grande potencial de exportação em vários setores produtivos industriais, tais como vestuário e acessórios, alimentos, produtos minerais não-metálicos, produtos de metal e móveis. Só nesses cinco setores há mais de 6.450 empresas identificadas pelo MDIC em todo o estado.

"Temos trabalhado na inserção das nossas empresas no comércio internacional, especialmente aquelas que nunca exportaram, de forma a oferecer uma alternativa diante da recessão interna, bem como ampliar nossa base exportadora", explicou o ministro do MDIC, Marcos Pereira.

Para o presidente da FIEC, Beto Studart, as ações desenvolvidas no Plano Nacional da Cultura Exportadora representam um importante apoio aos empresários. “O processo de internacionalização das empresas não é simples, porque exige conhecimento do idioma, hábitos de consumo e economia local do destino das exportações. O MDIC é um importante ponto de articulação para os empresários”, disse.

Fonte: Portal Brasil

Posts Recentes