• Novembro de 2017
Home / Notícias

Notícias

Vendas no comércio recuam 9% em maio em relação a maio

O IBGE divulgou nesta terça-feira (12) a Pesquisa Mensal do Comércio. As vendas caíram 1% em maio, na comparação com abril. Parece pouco, mas fazia 17 anos que não se tinha um mês de maio tão ruim. Na comparação com maio de 2015, a queda é de 9%.

Nessa crise, os brasileiros tiveram que mudar de comportamento, no supermercado

A embalagem gigante invadiu as prateleiras. Tem sabão, leite em pó, suplemento infantil. O Cláudio compra, mas só quando vale a pena.

“Você abrir uma embalagem de sardinha grande e não usar ela toda vai acabar estragando, então não é vantagem. A vantagem é quando você compra a embalagem econômica e você vai usá-la”, explica o comerciante Cláudio Vidolim.

Num supermercado, o produto de limpeza de meio litro custa 25% mais caro em comparação com o mesmo produto na embalagem econômica. O iogurte na embalagem de 1,350 litro 350 sai bem mais em conta que no potinho de 180 gramas. A economia passa dos R$ 5.

A indústria e os supermercados se adaptaram à realidade de pessoas como a Alessandra, que perdeu o emprego há três meses. Ela agora faz pesquisa de preço e só leva para casa o que for realmente vantajoso.

Na listinha, a publicitária compara o volume e o valor dos produtos. Em pouco tempo aprendeu que para ela o tamanho da embalagem faz a diferença.

“Realmente o produto acaba saindo muitas vezes mais barato e, pela quantidade, a minha família é grande, então acaba compensando”, disse Alessandra Sartori. O diretor de uma rede de supermercados diz que a oferta de embalagens maiores foi negociada com fabricantes.

“Nessa primeira compra do mês entram as embalagens maiores que vão justamente atender, a princípio, a necessidade do consumidor o mês inteiro”, explica o diretor comercial Alex Ribeiro.

Foi uma ideia para enfrentar a mudança de hábitos dos consumidores no meio da crise.
As quedas nas vendas em supermercados se acentuou nos cinco primeiros meses do ano em relação ao mesmo período de 2015.

“O setor supermercadista certamente tem uma relação bem direta com a renda, então, a redução da renda real, da massa real que circula na economia, traz impactos para ele. Enquanto a gente não observar uma reação do mercado de trabalho por conta de uma melhora, de uma confiança, ou mesmo de uma melhora dos investimentos, ainda vai se observar resultados negativos para as vendas”, explica Isabella Nunes, gerente da Coordenação de Serviços e Comércio do IBGE.

Quem precisa cortar despesas consegue economizar comprando mais.

“Sabão compensa porque se usa muito. Papel higiênico compensa porque não estraga”, ensina Cláudio.

Fonte: G1

Posts Recentes