• Julho de 2018
Home / Notícias

Notícias

Câmara desiste de proibir abertura de supermercados aos domingos em BH

A população de Belo Horizonte disse não para a proibição da abertura dos supermercados aos domingos. Segundo a enquete feita no site da Câmara Municipal, 84% dos 13.958 cidadãos que se manifestaram foram contra o projeto de lei que obrigava o setor a fechar as portas. Com base no resultado, o autor da proposta, vereador Wellington Magalhães (PTN), vai retirar hoje o projeto de lei de tramitação. “Eu vou acatar o que o povo decidir e eu vou anular o projeto, cancelar. Não vou bater com o povo, é o povo quem decide”, destacou Magalhães, que é presidente da Câmara.

A proposta, baseada na necessidade de os trabalhadores terem direito a um dia com a família, levantou polêmica na capital. O superintendente da Associação Mineira de Supermercados (Amis), Antônio Claret Nametala, chegou a estimar que a proibição provocaria 35 mil demissões nos supermercados de todo o Estado, cerca de 20% dos funcionários.

“O setor cumpre a legislação trabalhista e quem trabalha aos domingos ganha hora extra e tem direito a folga. Continuamos a defender a isonomia e a livre iniciativa. Quem quiser fechar, fecha, sem ser obrigação”, defendeu Nametala.

No início de junho, dois projetos semelhantes, de autoria do deputado Alencar da Silveira Jr (PDT), foram discutidos em audiência pública na Assembleia Legislativa. A ideia era a proibição da abertura dos supermercados e shoppings centers em todo o Estado. Entretanto, os deputados foram unânimes em discordar dos trâmites, alegando prejuízo econômico com demissões e queda nas vendas. Na ocasião, a Comissão de Defesa do Consumidor e do Contribuinte da ALMG chegou enviar um requerimento para os vereadores, recomendando que o projeto de lei municipal fosse cancelado.

Com a medida, os shoppings demitiriam 15%, o que daria cerca de 11 mil cortes, segundo estimativas da Associação Brasileira de Shoppings Centers (Abrasce). Para o presidente da associação, Glauco Humai, o que precisa ser mudado não é a possibilidade de abrir ou não os domingos, mas sim a legislação trabalhista.

“Talvez o povo tenha decidido pelo conforto de ir ao supermercado aos domingos. Então, é fazer a vontade do povo. Isso é democracia”, ressaltou Wellington Magalhães. (Com Helenice Laguardia)

Vendas no comércio varejista sobem 0,5% em abril, diz IBGE

Rio de Janeiro. As vendas do comércio varejista subiram 0,5% em abril sobre março, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Embora tenha sido o melhor abril desde 2013 na comparação com o mês anterior, o quadro segue pior do que ano passado.

Por causa da alta da inflação e do desemprego, e da queda na renda, as vendas encolheram 6,7% sobre abril de 2015, maior recuo em 15 anos para meses de abril nessa base de comparação. Segundo a gerente da Coordenação de Serviços e Comércio do IBGE, Isabella Nunes, a alta de abril recupera uma parte da queda de 0,9% em março ante fevereiro e não pode ser considerada reversão da trajetória de queda. “Na comparação com 2015, o quadro ainda permanece negativo”.

Posts Recentes