• Outubro de 2018
Home / Notícias

Notícias

Como se preparar para a feira de franquias da ABF

Embora as franquias sejam mais caras que as empresas convencionais, elas são atrativas por serem uma opção que dá mais segurança para quem quer empreender — principalmente, para aqueles que nunca administraram um negócio antes. E para ajudar os empreendedores que pensam em abrir uma franquia, a Associação Brasileira de Franchising (ABF) realiza, entre os dias 15 e 18 de junho, a 25ª edição da ABF Franchising Expo.

O evento é organizado como uma feira onde marcas nacionais e estrangeiras expõem suas franquias. Empreendedores interessados em um novo negócio poderão encontrar empresas de todos os segmentos como alimentação, educação, esporte, saúde e beleza. “Antes que o empreendedor vá para a feira, é preciso que ele faça sua lição de casa”, diz Altino Cristofoletti, vice-presidente da ABF. Veja abaixo quatro passos que todo empreendedor deve fazer, segundo Cristofoletti, antes de ir à feira.

1. Pesquise e escolha

Existem muitos segmentos em que o empreendedor pode abrir uma franquia. Por isso, é preciso que ele escolha o setor em que pretende investir antes de ir à feira. "Caso contrário, ele se sentirá perdido no evento”, diz Cristofoletti.

Para ajudar nesse processo, o vice-presidente aconselha que o empreendedor comece pelos setores em que tem mais afinidade e não aqueles que estão na moda ou que prometem dar mais dinheiro. “Deve ficar claro que afinidade não está relacionada a lazer. Não é porque o empreendedor gosta de comer que ele deve investir em uma empresa no ramo de alimentação. Se ele considerar abrir uma franquia de restaurante, por exemplo, é importante que ele se sinta confortável com as atividades desse negócio, como manter a limpeza do ambiente e cuidar da validade dos alimentos”, diz.

Por outro lado, isso não significa que o empreendedor tenha que investir apenas em setores que conhece. Mesmo que ele nunca tenha trabalhado em um determinado mercado, nada impede que ele se proponha a aprender sobre uma nova área. Segundo Cristofoletti, todas as franqueadoras oferecem capacitação, com cursos e apostilas, a seus colaboradores. “Sempre é possível aprender sobre um novo negócio. O que faz a diferença é o empreendedor entender e aceitar as atividades do setor que ele escolher”, afirma.

Cristofoletti diz, ainda, que a pesquisa inicial do empreendedor deve ir mais fundo do que apenas a escolha de um mercado. “No próprio exemplo da alimentação, temos um campo vastíssimo de possibilidades. Há franquias de fast food, comida a la carte, cafeterias, entre várias outras. Então, antes da feira, o empreendedor também deve pesquisar os tipos de negócio que existem e fazer suas escolhas”, diz.

2. Planeje e calcule

Depois que o empreendedor escolhe o segmento em que quer investir, Cristofoletti aconselha que ele faça um pequeno plano de negócios. Nessa análise, além dos resultados que as empresas desse setor têm hoje, também é preciso que o empreendedor avalie sua disponibilidade financeira. “A pessoa interessada em abrir uma franquia deve levantar quanto capital tem para investir no negócio. Durante o cálculo, é muito importante que ela tenha em mente os recursos que precisa para sustentar sua família e já escolha itens que poderá abrir mão, se for necessário”, diz.

No valor final, além da taxa de franquia, também deve estar previsto o capital de giro que o empreendedor usará para financiar a operação até sua franquia estabilizar e gerar lucro.

3. Envolva a família

Antes de começar um novo negócio, é preciso que o empreendedor envolva sua família na empresa para que todos estejam cientes dos desafios que virão. Mas, trazer a família para os negócios não significa, necessariamente, colocar parentes para trabalhar na empresa. “A ideia é, simplesmente, alinhar os interesses dos familiares. Assim, o empreendedor evita objeções e discussões desnecessárias, que atrapalham o desenvolvimento da empresa”, afirma Cristofoletti.

O empreendedor precisa estar cercado de pessoas que torçam pelo sucesso da empresa e ajudem quando for necessário. “É preciso transformar o sucesso do negócio em um desejo coletivo”, diz.

4. Estude sobre franquias

O empreendedor que não sabe como funciona o sistema de franquias no Brasil precisa pesquisar sobre a área antes de ir para o evento. Para ajudar nesse processo, a própria feira da ABF irá disponibilizar cursos de capacitação gratuitos. “Durante a feira, vamos oferecer a oportunidade de o empreendedor adquirir o conhecimento básico necessário, mas o ideal é que eles cheguem no evento com uma noção prévia sobre como funciona esse mercado”, diz Cristofoletti. Ler reportagens e livros sobre o setor ajuda a entender os termos mais usados e os modelos de negócios.

As aulas, com duração de uma hora, ensinarão o que são as franquias, qual o passo a passo para ter uma e quais os desafios que o empreendedor normalmente enfrenta. “O curso pretende deixar o visitante mais preparado para quando for conversar com um franqueador, assim ele terá condições de fazer perguntas complexas que serão úteis na hora da decisão final”, diz.

E depois?

É importante ressaltar que não é permitido fechar negócios durante o evento. A feira serve como vitrine para as marcas e facilita o primeiro contato do empreendedor com as franquias. “O evento é para que o empreendedor tenha um primeiro momento de aproximação com o franqueador”, explica. Assim, depois da feira, é hora de estudar a viabilidade de comprar a franquia. “Essa aquisição não pode ser emocional, então ele deve deixar a ideia esfriar um pouco para tomar uma decisão racional. Até porque, muitas vezes, ele está investindo todas as suas economias”, diz.

Durante esse planejamento, é aconselhado que o empreendedor visite outros franqueados da rede e converse com eles sobre a situação da empresa. “Outra dica é pesquisar se a franquia desejada tem o selo de excelência da ABF ou o selo de cinco estrelas do anuário Melhores Franquias, da Pequenas Empresas & Grandes Negócios. Esses dois indicadores ajudam muito a saber o quão boa é a empresa”, explica.

Por fim, depois de o empreendedor ter passado pelo processo seletivo da empresa, ele recebe a Circular de Oferta de Franquia (COF). Nesse documento, estão todas as informações que ele precisa para tomar sua decisão. A lei garante até dez dias para que o empreendedor dê sua resposta final. “Nós aconselhamos que ele leve o documento a um advogado especializado, para que depois não tenha nenhuma surpresa desagradável”, diz.

Fonte: Revista PEGN

Posts Recentes