• Novembro de 2017
Home / Notícias

Notícias

Dirigentes do CDL Rio apontam vantagens de sistema de NFC-e para o comércio e contadores

Com a chegada de uma abrangente obrigatoriedade de emissão de Nota Fiscal do Consumidor eletrônica (NFC-e) a partir de julho, no Rio de Janeiro (RJ), o CDLRio está incentivando os lojistas do estado a adotarem uma ferramenta para emissão e gestão deste documento eletrônico. A entidade lojista está oferendo ao varejo o sistema de gestão myrp, que faz a emissão e gestão da NFC-e de maneira online, sem necessidade de instalação de softwares e atualizações.

O Superintendente de Produtos e Serviços do CDL Rio, Ubaldo Pompeu, afirma que o sistema oferece uma gestão fiscal para o lojista, permitindo que ele tenha o foco para sua atividade, sem preocupação e riscos contábeis e fiscais no seu negócio. Pompeu destaca ainda que o myrp é uma ferramenta completa e super acessível para o comércio, 100% aderente à legislação fiscal atual e futura, liberando assim o lojista dessa preocupação. "O myrp propicia ao lojista um completo controle de todo o seu processo comercial e o contador do comerciante também é muito beneficiado porque consegue acessar todos os dados contábeis com facilidade", acrescenta o Superintendente de Produtos e Serviços do CDL Rio.

"Como é um sistema desenvolvido para ser utilizado através da internet, os nossos lojistas associados não precisam se preocupar com equipamentos, cópia de segurança, implantação e suporte técnico", complementa o Gerente Comercial do CDL Rio, Caio Leite. Além disso, todas as atualizações são feitas automaticamente sem que os associados precisem se preocupar em se manter atualizados com a legislação. "O myrp proporciona aos nossos lojistas associados um sistema de loja com todos os controles necessários para que eles exerçam suas atividades de venda de forma segura e eficiente", finaliza Leite.

As primeiras obrigatoriedades de NFC-e já entraram em vigor no Rio de Janeiro em 2014. No entanto, a partir deste ano, a legislação começa a atingir um maior número de empresas, com a obrigatoriedade em 1º de julho, para os contribuintes optantes pelo Simples Nacional com receita bruta anual auferida no ano-base 2014 superior a R$ 360.000,00.

Fonte: Divulgação

Posts Recentes