• Outubro de 2017
Home / Notícias

Black Friday: vendas em lojas físicas caem e compras online aumentam

A Black Friday está atraindo cada vez mais pessoas em todo o mundo. O modo de compras está mudando de maneira radical durante este período, pois as horas gastas esperando na fila para a compra de produtos está aumentando. Essa é a razão de boa parte dos americanos comprar produtos pela internet mesmo tendo que esperar um pouco mais. As vendas em lojas de varejos estão tendo uma queda neste ano com lucro abaixo de 11,6 bilhões de dólares em 2014, segundo dados preliminares da empresa de pesquisa chamada ShopperTrak.

Um grande motivo para as quedas é o aumento de compras online, como os americanos que buscam por ofertas em seus smartphones, tablets e computadores. Outro fator fundamental: muitos varejistas estão oferecendo pechinchas muito antes da Ação de Graças, limitando o impacto de especiais ofertas na Black Friday. Ainda assim, a maioria dos analistas esperam que as vendas de férias deste ano mostrem um crescimento mais forte do que o do ano passado. Os americanos estão começando a ver os primeiros sinais de aumentos salariais, a contratação tem sido sólida desde o ano passado, e os baixos preços de gás estão deixando mais dinheiro no bolso dos compradores.

De acordo com Bill Martin, co-fundador da ShopperTrak, "há um monte de força no consumidor. Mesmo com o deslizamento nas vendas, a Black Friday vai acabar por ser o dia onde o número de vendas no varejo este ano terá mais quedas".

Alguns varejistas online foram bombardear os clientes com descontos por e-mail durante semanas. As vendas online saltaram para 14,3 por cento na sexta-feira, quando comparada com o ano passado, de acordo com a Adobe, que acompanhou a atividade em 4.500 sites de varejo. Promoções por e-mail levaram 25 por cento mais vendas em comparação com 2014, disse a empresa.

Os consumidores mudaram e começou mais cedo. Os americanos estão fazendo mais de suas compras de Natal em novembro, uma tendência desta década, apesar de dezembro continuar a ser o mês em que os consumidores gastam mais. Os clientes estão até começando a adiar algumas das suas compras de volta às aulas até mais tarde no outono, em antecipação de tais ofertas.

Fonte: Blasting News