• Outubro de 2017
Home / Notícias

Intenção de consumo das famílias tem décima mínima recorde seguida

A crise está afetando em cheio a intenção das famílias brasileiras de fazer compras. Segundo pesquisa da Confederação Nacional do Comércio, a intenção das consumo alcançou, em novembro, a décima mínima consecutiva, ao recuar 2,5% frente a outubro.

Na comparação com novembro de 2014, a queda na intenção de consumo foi acentuada: 36,6%.

"As quedas seguidas do ICF decorrem da deterioração dos fatores determinantes das expectativas ao longo dos últimos 12 meses: aceleração da inflação, enfraquecimento da atividade econômica, com reflexo crescente no mercado de trabalho, e aumento da incerteza política", diz a CNC em nota.

Emprego e consumo

A pesquisa aponta que a satisfação das famílias com o emprego atual recuou 1,4% frente a outubro e 21% na comparação com novembro do ano passado. O percentual dos que se sentem mais seguros com o emprego atual voltou a cair, para 30,6%.

A fatia, no entanto, ainda é maior que a dos que se sentem menos seguros no emprego, dee 26,1%.

Em relação ao consumo, o componente que mostra o nível atual mostrou queda de 4,3% frente ao mês anterioe e de 45,2% ante novembro de 2014. A maior parte das famílias declararam estar com o nível de consumo menor que o do ano passado (58,6%, ante 56,9% em outubro).

"O elevado custo do crédito, o alto nível de endividamento e o aumento do desemprego são os principais motivadores da deterioração na intenção de compras a prazo", diz a CNC.

Expectativas

As famílias ouvidas na pesquisa mostraram piora nas perspectivas em relação ao mercado de trabalho na comparação mensal, com queda de 1,4%. Frente a novembro de 2014, a queda foi de 19,9%. A maior parte (48,1%) consideram o cenário negativo para os próximos seis meses.

Fonte: G1