• Novembro de 2018
Home / Notícias

Notícias

4 tendências para o mercado infantil

Famílias menores, com poucos filhos. Nos próximos anos, este deverá se consolidar como o arranjo mais comum nos lares brasileiros. A queda na taxa de fecundidade — que diminuiu de 2,39% para 1,72% nos últimos 15 anos teve impacto direto no mercado de produtos e serviços infantis.

Com mais dinheiro para gastar e altas expectativas sobre o futuro das crianças, pais e mães passaram a investir em opções mais sofisticadas de lazer, educação e vestuário. “Antes considerados supérfluos, itens como viagens e artigos de decoração passaram a fazer parte da realidade de consumidores infantis”, diz Reinaldo Gregori, da consultoria de geomarketing Cognatis.

A ascensão da nova classe média também ajuda a explicar o aquecimento do setor: o aumento da renda ampliou a base de consumidores dispostos a pagar por experiências ligadas ao conceito de exclusividade.

Ainda que em versões adaptadas para realidades econômicas distintas, o mercado de luxo infantil vem se consolidando em diversas classes sociais. “Trata-se de um perfil de consumidor que procura por serviços que diferenciem a sua família de alguma maneira. Essa tendência pode ser observada no aumento da procura por eventos ritualísticos, como as festas em bufês”, diz Gregori.

Pequenos consumidores

Onde estão as oportunidades para interessados em vender produtos e serviços para o público infantil:

1. Moda e beleza

A publicidade e as coleções infantis assinadas por estilistas ajudaram a despertar um senso precoce de moda entre crianças e pré-adolescentes. A tendência pode ser observada nos editoriais de publicações especializadas, nas redes sociais e nos grandes eventos voltados a esse público.

2. Festas e eventos

Antes consideradas um luxo de famílias abastadas, as festas de aniversário em bufês se popularizaram. O mercado de luxo, a organização de festas personalizadas — como piqueniques gourmet em praças e sessões de circo particulares — é um negócio que deve ganhar força nos próximos anos.

3. Educação particular

Em busca de um futuro melhor para seus filhos, os pais da nova classe média dedicaram uma boa parte da sua renda a escolas particulares e cursos de idiomas. Nas faixas de renda mais altas, essa tendência se traduz no investimento em segmentos como aulas particulares, intercâmbios e escolas bilíngues.

4. Mercado de experiências

Um simples passeio no shopping passou a envolver programas como exposições, paredes de escalada e parques temáticos para crianças. Em todos os casos, o atendimento personalizado é tão importante quanto a qualidade da infraestrutura oferecida pelo espaço.

Fonte: R7

Posts Recentes