• Novembro de 2017
Home / Notícias

Notícias

Varejo gaúcho começa a gerar empregos temporários para fim de ano

O ano de 2015 chega ao seu último trimestre trazendo perspectivas um pouco mais animadoras para o varejo gaúcho. Apesar do cenário negativo, as festas de Natal e Ano Novo devem implicar na ampliação de oportunidades no comércio para quem procura emprego. Para a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL-RS), é possível prever que as contratações sazonais gerem até 15 mil vagas temporárias no setor, elevando os indicadores de empregabilidade do estado.

Para o presidente da entidade, Vitor Augusto Koch, o momento é de buscar a recuperação dos índices de emprego e de vendas do comércio varejista gaúcho. Segundo ele, o emprego temporário, se bem desempenhado pelo trabalhador, pode representar uma porta de entrada para a obtenção de uma vaga fixa.
- Neste período, os lojistas se dispõem a treinar e avaliar os novos talentos. Então, é a chance dos temporários darem o máximo de si para mostrar que podem ser efetivados ao quadro funcional da empresa. Além disso, a FCDL-RS aponta que um terço dos funcionários contratados temporariamente acabam por ser efetivado ao final do período - aponta Koch.

A entidade avalia que em Porto Alegre deverão ser criados cerca de 2.300 novos empregos temporários. O litoral, com a proximidade do início do veraneio, e cidades do interior do estado que apostam fortemente nas festividades natalinas e de ano novo, como Gramado, Canela, por exemplo, também deverão gerar número expressivo de vagas neste período.
- Mesmo que as últimas notícias em relação a economia gaúcha e brasileira não sejam as que gostaríamos de ver e ouvir, o período de final de ano traz um alento para a população, que deverá regressar as lojas para fazer suas compras, embora com moderação. Pesquisas que a FCDL-RS realizou junto aos consumidores, mostram que isso deverá ocorrer - salienta Vitor Augusto Koch.

Entre 2010 e 2014, os lojistas gaúchos geraram, em média, 17.872 postos de trabalho temporários no último trimestre do ano. A melhor marca foi obtida em 2010, com saldo positivo de 25.719 contratações. O patamar mais modesto foi registrado em 2014, com alta de 13.116 empregos.

Posts Recentes