• Outubro de 2017
Home / Notícias

RJ: Franquias em comunidades terão acesso a crédito de até R$ 15 mil

A Associação Brasileira Franchising Rio de Janeiro (ABF-Rio) e a Agência Estadual de Fomento (AgeRio) anunciaram um convênio para estimular a abertura de novas unidades franqueadas e a expansão de franquias existentes em comunidades pacificadas do Rio de Janeiro. A iniciativa garantirá aos empreendedores cariocas a emissão de cartas de crédito com valor máximo de R$ 15 mil.

A motivação para a iniciativa das duas entidades se deve ao forte movimento de empreendedorismo e ao grande potencial de consumo indentificados nestas localidades, fatores que contribuem fortemente para a expansão do franchising. Segundo pesquisa do Instituto Data Favela, as comunidades no Brasil contam com cerca de 12 milhões de moradores, um público capaz de movimentar R$ 64 bilhões. Outra pesquisa, do mesmo instituto, revela que abrir um negócio é o sonho de 40% da população destas áreas. Apenas na comunidade da Rocinha, estima-se que existam 12 mil negócios, das mais variadas modalidades.

“Ao oferecer um negócio formatado, com marca conhecida e intensa capacitação e troca de experiências, o franchising é uma ótima porta de entrada para o empreendedor iniciante. Até porque o índice de mortalidade de franquias, na casa dos 4%, é bastante interior a taxa de pequenos negócios isolados”, diz Beto Filho, presidente da ABF-Rio. Ele completa ainda explicando que a iniciativa sócio-empresarial vai desenvolver a economia local e incentivar a profissionalização de negócios. Além disso, deve favorecer a formalização dos negócios que operam na ilegalidade atualmente.

Leia: Saiba como abrir uma microfranquia e evitar armadilhas

Apesar do volume inicial de crédito previsto para a linha ser de R$ 1,5 milhão, segundo a AgeRio, não há limite de interessados. A taxa de juros cobrada será de 3% ao ano. Como requisitos básicos para obtenção do crédito, o empreendedor precisa ter fiador ou aval. O valor será liberado mediante análise de crédito do empresário e da avaliação de viabilidade do negócio. Além disso, a marca escolhida deve ter seu produto formatado e ser conveniada à AgeRio.

Os franqueadores também serão convidados para identificar as marcas que melhor se adequam ao perfil do programa. Atualmente, de acordo com o levantamento realizado pela ABF-Rio, já operam em comunidades cariocas ao menos 10 marcas de franquias, com cerca de 18 unidades em atividade.

“Dada sua experiência, essas redes são grandes candidatas a buscarem empreendedores na comunidade que desejem abrir seu negócio com o auxílio da carta de crédito. Mas vamos buscar outras marcas, especialmente as microfranquias, cujo valor inicial de investimento é mais baixo”, afirma Beto Filho.

Fonte: iG São Paulo