• Outubro de 2017
Home / Notícias

Falta de produtos em supermercados aumentou 29% em julho

Não encontrar os produtos desejados nas prateleiras dos supermercados pode ser uma nova realidade dos consumidores. Isso porque, segundo dados da NeoGrid, a ruptura, índice que mede a porcentagem de produtos em falta no varejo em relação ao total de itens da loja, aumentou cerca de 29% em julho comparado ao mês anterior. O indicador, que registrou 9,76% em junho, chegou a 12,59%.

Os dados da NeoGrid mostram também que a principal causa para a falta de produtos nas prateleiras está relacionada à falha logística (58,51%). Isso significa que os produtos não estavam disponíveis na gôndola ou porque o varejo não colocou o pedido para o fornecedor ou por falha na entrega.

Para o diretor de Relacionamento do Varejo e Indústria da NeoGrid, Robson Munhoz, a alteração na ruptura pode estar relacionada a fatores como a insegurança dos varejistas diante do momento de instabilidade econômica do país.
- Com receio de uma possível retração nas vendas, o varejo passou a se preocupar ainda mais com os excessos de estoque e a diminuir os pedidos para a indústria - e um dos reflexos desse comportamento é a falta de produtos nas prateleiras - afirma.

Nos outros 40,81% dos casos, as falhas foram referentes à execução de loja, mais especificamente por dois fatores: gôndola desabastecida (o produto estava disponível no estoque físico da loja, mas a prateleira não foi reabastecida) e estoque virtual (o número de produtos que consta no sistema de informações da loja é diferente da quantidade que, fisicamente, está disponível para venda ao consumidor).