• Novembro de 2017
Home / Notícias

Notícias

Mais de 75% do varejo na Grande São Paulo está investindo menos

A intenção dos comerciantes em investir no próprio negócio ou em contratar novos empregados nunca esteve tão baixa desde junho de 2011, quando a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomércio-SP) passou a acompanhar mensalmente esse assunto. Em agosto, o Índice de Expansão do Comércio (IEC), divulgado agora pela primeira vez, atingiu 67,2 pontos - o menor nível histórico.

O indicador apresentou sua nona queda consecutiva, o que, segundo economistas da Entidade, evidencia um quadro negativo com relação aos planos de expansão das empresas de São Paulo e Região Metropolitana.

Segundo o IEC, o interesse dos empresários tanto em realizar novas contratações como em comprar máquinas e equipamentos ou ampliar lojas e abrir novos pontos comerciais diminuiu 33,7% se comparado ao mesmo período de 2014. Foi a maior queda já observada no comparativo anual, que está se acentuando a cada mês. Entre julho e agosto deste ano, a variação foi de -9,1%.

O indicador que mede a intenção em investir no próprio negócio atingiu 59,5 pontos em agosto de 2015 contra 86,8 no mesmo mês do ano passado - queda de 31,5%. Com relação a julho, o recuo foi de 9,7% (a maior queda mensal já observada). Esse comportamento reflete o mau humor do setor para novos investimentos. 76,5% dos entrevistados disseram que estão investindo menos do que no mesmo período do ano passado.

A perspectiva de contratação de funcionários também caiu, ao passar de 116 para 75 pontos na comparação anual, registrando variação negativa de 35,4%. Sobre o mês passado, a queda foi de 8,6%. De acordo com a Federação, esse resultado aponta para o aumento do desemprego no comércio. Afinal, 68,6% dos empresários disseram que pretendem reduzir o quadro de funcionários nos próximos meses.

O índice, que passa a ser mensalmente divulgado, corrobora outros indicadores sobre o nível de confiança do empresário do varejo. De acordo com a assessoria econômica da Entidade, o comércio vem sofrendo fortemente com a queda nas vendas e com o aumento dos custos, em especial, de energia e da taxa de câmbio, além da alta dos juros.

Para a Fecomércio-SP, o congelamento dos investimentos tende a agravar, ainda mais, o atual cenário econômico. Para reverter tal quadro, a Entidade defende a retomada de uma agenda de reformas estruturais que envolvam a redução da burocracia e dos gastos públicos.

O Índice de Expansão do Comércio da Região Metropolitana de São Paulo é apurado mensalmente pela Fecomércio-SP desde junho de 2011, com dados de cerca de 600 empresários. O indicador vai de zero a 200 pontos, representando, respectivamente, desinteresse e interesse absolutos em expansão de seus negócios. A análise dos dados identifica a perspectiva dos empresários do comércio em relação a contratações, compra de máquinas ou equipamentos e abertura de novas lojas.

Posts Recentes