• Outubro de 2017
Home / Notícias

DF: Acumulado nas vendas de comércio e serviços apresenta queda

As vendas do comércio brasiliense registraram queda de -2,25% em julho na comparação com junho deste ano. Já as vendas do setor de serviços tiveram alta de 5,82%. No acumulado dos últimos 12 meses, de julho de 2014 a julho de 2015, comércio e serviços apresentam um saldo negativo de -10,94%. É o que mostra a Pesquisa Conjuntural de Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal, realizada pelo Instituto Fecomércio, com apoio do Sebrae.

O presidente da Fecomércio-DF, Adelmir Santana, explica que nos meses de abril, maio, junho e julho os indicadores do comércio foram todos negativos. Dessa forma, fica evidenciada uma desaceleração no ritmo de compras pelo consumidor. Outro ponto analisado por ele é em relação à inflação, que tem sido crescente e força o brasiliense a substituir alguns bens e serviços.
— A crise continua refletindo nas escolhas do consumidor, que diante dos custos permanece cauteloso no processo de compras.

Os únicos segmentos do comércio que registraram crescimento nas vendas em julho foram lojas de Utilidades Domésticas (9,46%); Óticas (2,81%); e Móveis e Decoração (2,42%). Os três segmentos que apresentaram maior queda foram: Tecidos (-19,90%); Floricultura (-15,77%) e Calçados (-5,89%).

No setor de serviços, o destaque em vendas em julho ficou para o segmento de Agência de Viagem (26,06%); seguido de Ensino de Idiomas (6,56%) e Academia (2,91%). Os segmentos de serviços que apresentaram as maiores quedas nas vendas foram: Reparação de Eletroeletrônicos (-16,78%); Casa de Eventos (-14,61%) e Petshop (-4,92%).

Entre as formas de pagamento, o cartão de crédito foi o mais utilizado. No comércio, a modalidade respondeu por 46,72% das vendas. No setor de serviços, foi responsável por 41,94%. A Pesquisa Conjuntural é realizada mensalmente pelo Instituto Fecomércio com o apoio do Sebrae. Foram consultadas 900 empresas, sendo 596 do comércio e 304 de serviços.

Fonte: R7