• Setembro de 2017
Home / Notícias

RJ: Vendas no comércio caem 3,1% em julho, segundo CDL

O Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro (CDL Rio) informou nesta terça-feira (25) que as vendas do comércio do Rio recuaram 3,1% em julho, frente ao mesmo mês de 2014, de acordo com a pesquisa Termômetro de Vendas. Este foi o pior resultado do ano. No acumulado dos sete meses do ano, de janeiro a julho, o percentual ficou praticamente estável em relação ao mesmo período do ano passado, com queda de 0,6 %.

De acordo com a pesquisa – que abrange cerca de 750 estabelecimentos comerciais na cidade – todos os setores do chamado Ramo Mole (bens não duráveis) e do Ramo Duro (bens duráveis) apresentaram resultados negativos. Os que registraram as maiores quedas no faturamento no Ramo Mole foram calçados (-4,9%), tecidos (- 4,3%) e confecções (-3,9%). Já no Ramo Duro (bens duráveis), os maiores recuos foram nos setores de joias (-5,3%), óticas (-4,5%), móveis (-3,7%) e eletrodomésticos (-2,8%).

Para Aldo Gonçalves, presidente do CDL Rio, a crise econômica, o desemprego em alta e a escassez de crédito estão inibindo as compras do consumidor. “O inverno fraco não ajudou as vendas do comércio, também colaborando para este resultado negativo de 3,1%”, acrescentou Aldo.

Queda maior é no Centro

Em relação às vendas de acordo com a localização dos estabelecimentos comerciais, os piores resultados foram registrados no Centro. No Ramo Mole, as lojas do Centro venderam menos 5,1%, as da Zona Norte menos 4,6% e as da Zona Sul menos 2,6%. No Ramo Duro, as lojas do Centro venderam menos 4,4%, as da Zona Norte menos 2,9% e as da Zona Sul menos 2%.

Inadimplência

A pesquisa registrou um aumento de 0,3% no índice de inadimplência no Rio em julho, frente o mesmo mês do ano passado, de acordo com os registros do Serviço Central de Proteção ao Crédito do CDL Rio. Ao comparar o mês de julho com o mês anterior (junho), a inadimplência caiu 5,8%. No acumulado dos sete primeiros meses do ano (janeiro/julho) em relação ao mesmo período de 2014, a inadimplência subiu 0,7%.

Fonte: G1 Rio