• Outubro de 2017
Home / Notícias

Vendas no Dia dos Pais têm pior resultado desde 2005

Acompanhando o que ocorreu no Dia das Mães, na Páscoa e no Dia dos Namorados, o desempenho do varejo no Dia dos Pais decepcionou. Entre os últimos dias 3 e 9, as vendas recuaram 5,1% no país frente a igual período do ano passado, registrando a primeira queda desde que o Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio para a data foi criado, em 2005. Já o levantamento do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostrou queda de 11,21% - o pior desempenho nos últimos seis anos - entre 2 e 8 de agosto.

O resultado deste ano marcou a primeira queda do indicador da Serasa Experian em dez anos. Até então, o menor crescimento havia sido registrado em 2006, com alta de 2% frente ao ano anterior, enquanto o maior ocorrera em 2011, com expansão de 8,8%. Em 2014, as vendas no Dia dos Pais cresceram 2,1% em relação a 2013, segundo esse indicador.

No fim de semana passado, quando o consumidor foi às compras de última hora para presentear os país, houve queda de 1,4% nas vendas do varejo em relação ao mesmo período de 2014, de acordo com o levantamento da Serasa Experian.

Já os dados do SPC Brasil e da CNDL mostraram que entre os últimos dias 2 e 8, as consultas para vendas a prazo - que sinalizam o ritmo do movimento no comércio - caíram 11,21%. No ano passado, as vendas na semana que antecede o Dia dos Pais já haviam registrado queda de 5,09%. Nos quatro anos anteriores, no entanto, o resultado foi positivo, com crescimento de 3,78% em 2013; de 4,75% em 2012; de 6,86% em 2011; e de 10% em 2010.

As intenções de vendas parceladas também recuaram no Dia dos Namorados (-7,82%), na Páscoa (-4,93%) e no Dia das Mães (-0,59%), segundo levantamento do SPC Brasil.

Presidente da CNDL, Honório Pinheiro considera que o fraco resultado do varejo no Dia dos Pais é uma consequência do desaquecimento da economia, influenciado principalmente pela escalada dos juros, pela inflação acima do teto da meta - que corrói o poder de compras do brasileiro - e pelo aumento da massa de trabalhadores desempregados.

Pesquisa recente feita pelo SPC Brasil já apontava a preferência pelo pagamento à vista, o que potencializa a queda mostrada pelo indicador de consultas para vendas a prazo, optando por itens mais baratos e pelo pagamento à vista.

"Menos confiante do que em anos anteriores, os brasileiros optaram pelas compras à vista e por itens de mais baixo valor, motivados, principalmente, pelo encarecimento dos juros, pela escassez de crédito e pela preocupação em comprometer menos o próprio orçamento com compras parceladas", afirma Pinheiro.

Economistas da Serasa Experian também consideram que a crise econômica, marcada pela alta da inflação, dos juros no crediário, pelo aumento do desemprego e pela queda da confiança dos consumidores, afetou negativamente o desempenho do comércio varejista no data comemorativa.

O Dia dos Pais é a quarta data comemorativa que mais movimenta o varejo em volume de vendas e faturamento, atrás de Natal, Dia das Mães e Dia dos Namorados. Segundo levantamento do SPC Brasil, os presentes mais procurados neste ano foram roupas, calçados e acessórios, como cintos, óculos, relógios, meias e gravatas.