• Outubro de 2018
Home / Notícias

Notícias

'Moda Amazônica' inspira desfile na Virada Sustentável em Manaus

A moda amazônica também teve espaço durante o segundo dia da Virada Sustentável, com um desfile que ocorreu neste domingo (26), no Palacete Provincial, situado no Centro de Manaus. O evento contou com a exposição de produções de estilistas amazonenses, que incorporaram em cada peça a temática ambiental e a identidade regional da amazônia.

Ao todo, seis estilistas e designers de moda tiveram produções exibidas durante o evento. Entre eles Rita Prossi, Sarah Marinheiro, Alzira Fashion, Deborah Souza, Aha Prada e Thay Inomata. Cada profissional exibiu peças que ganharam destaque pela criatividade e, principalmente, pelo uso de mão-de-obra renovável.

A estilista Thay Inomata exibiu peças feitas com malha de garrafa pet e tingimento natural. "As garrafas pets que iriam ser descartadas são recolhidas, recicladas, transformadas em flocos, que viram os filamentos que são o poliéster que a gente já conhece. O diferencial dele é que é um vestido reciclado", explicou.

Segundo ela, o aproveitamento de todas as partes do tecido também faz parte da proposta sustentável da peça. A segunda produção da estilista é fruto do reaproveitamento de outra roupa. "Além disso, ele foi tingido com corante de resíduos, feito a partir de borra de café, que as pessoas jogam fora todos os dias", disse.

Resíduos florestais também receberam destaque nas peças da designer Rita Prossi. Especialista em biojoias, ela ressaltou que os botões e fibras usadas como tecido nas confecções são produzidas por comunidades do interior do Amazonas.
"Eu apresentei aqui um vestido de algodão cru pintado a mão, inspirado na vitória régia (planta típica da Amazônia), além de um colete de fibra de buriti. Ele foi desenvolvido na comunidade do Tumbira. Ele é sustentável de várias formas tanto para a comunidade que está desenvolvendo, tanto como a matéria-prima utilizada", afirmou.

De acordo com ela, a sustentabilidade é o futuro da moda. "Engloba o mundo atual que a gente vive. Ela leva você a refletir sobre o que está por trás dessa moda, que são as comunidades de artesãos que cortam as sementes, que fazem os botões, os retalhos que são reaproveitados. A tendência é que as pessoas migrem para esse lado e valorizem ainda mais esse resgate da nossa cultura", contou.

Para uma das organizadoras do evento, a designer Emone Peccini, a Virada Sustentável contribui para o resgate da identidade amazônica por meio da moda. "As pessoas estão começando a resgatar algo que tinha se perdido na década de 90, que é a cultura local, a afirmação do 'eu sou índio com orgulho'. A virada vem para educar a população a pensar sobre a sustentabilidade, oferecendo opções de adaptações para se pensar o meio ambiente", completou.

Fonte: G1 AM

Posts Recentes