• Novembro de 2018
Home / Notícias

Notícias

Pediatra lança grife de moda infantil sustentável

Já pensou como seria se ir ao shopping para renovar o guarda-roupa das crianças fosse uma prática sustentável? Essa é a ideia da médica pediatra Ana Paula Aguiar Ferraudo, fundadora da grife de moda infantil Gruta da Cuca. Além de adotar todos os cuidados médicos para não prejudicar o desenvolvimento das crianças, as roupas produzidas pela grife são inteiramente feitas com materiais sustentáveis como garrafas PET recicladas, aparas, retalhos e algodão orgânico.

Foi trabalhando como médica pediatra por 16 anos em Botucatu, interior do estado de São Paulo, que ela enxergou a oportunidade no mercado de moda infantil. “Já havia confecções de roupas sustentáveis para adultos, mas nada do tipo para crianças”, diz. Na loja virtual, os pais e mães preocupados com o impacto das roupas de seus filhos no meio ambiente podem fazer suas encomendas de qualquer lugar do Brasil.

E não é só no material utilizado para confeccionar as peças que está o viés sustentável da empresa. “Utilizamos o serviço de uma lavanderia industrial com importante trabalho social de Piracicaba, coorporativas de reciclagem que geram renda para famílias carentes e também terceirizamos serviços com instituições ligadas ao Fundo Social de Solidariedade de Botucatu”, afirma.

O objetivo principal da Gruta da Cuca é que as roupas feitas com material sustentável sejam acessíveis a todos os públicos. “Minha intenção é conscientizar a população de um modo geral, e não apenas um público específico que pode pagar mais por uma peça de roupa”, diz. Segundo a empresária, uma camiseta feita com material derivado de garrafas PET, por exemplo, custa em torno de R$ 50.

Com um investimento inicial R$ 80 mil, Ana Paula Aguiar, que é empresária durante o dia e pediatra durante a noite, pretende produzir quatro mil peças até o final do ano, aproveitando as vendas do Dia das Crianças e do Natal. Segundo a empreendedora, o lucro do negócio deve vir no segundo semestre de 2016.

Fonte: Revista PEGN

Posts Recentes