• Setembro de 2017
Home / Notícias

Vendas em Ribeirão Preto caem 3% e lojas antecipam liquidação de inverno

As vendas no comércio de Ribeirão Preto (SP) estão em baixa. Dados do Sindicato do Comércio Varejista (Sincovarp) apontam que o mês de maio teve o pior resultado do ano até agora: a queda nas vendas foi de 3,15%, em comparação com o mesmo período do ano passado.

O setor que menos vendeu foi o de livraria e papelaria, com redução de 6,74%, seguido por cine/foto, com queda de 6%, e calçados, com diminuição de 5,41%. As lojas de roupa também venderam 4,11% menos, seguindo a tendência mensal.

“A gente está passando por um momento de crise por pessimismo. A economia anda de lado desde o ano passado, os números não são tão positivos quanto se espera, mas tem sempre alguém vendendo e sempre alguém comprando”, diz o presidente do Sincovarp, Paulo César Garcia.

Para tentar reverter o quadro negativo, os comerciantes estão investindo em promoções e estratégias de marketing. As liquidações de inverno foram antecipadas no Centro da cidade e muitas lojas também aumentaram os descontos de produtos parados há muito tempo nas prateleiras.

Essas foram as estratégias adotadas pela gerente Sheila de Freitas Novaes, que não conseguiu evitar o corte no quadro de funcionários, para manter o salário das vendedoras. Por outro lado, além de atender os clientes, elas também passaram a ser responsáveis pelo caixa.

Sheila conta ainda que está concedendo desconto de até 50% nos preços das roupas de inverno, promoção que nos anos anteriores só ocorria em agosto. “O pessoal está aproveitando o friozinho e comprando”, disse.

Uma loja de calçados também está apostando no parcelamento do preço em até dez vezes no cartão de crédito, além de conceder um desconto de 10% aos clientes que nunca compraram no estabelecimento.

“A gente tem que mostrar que a loja está com preço bom, que o atendimento é diferenciado, apresentar vantagens para o cliente voltar outras vezes. Tudo é negociável. O importante é o cliente sair feliz e a gente não perder a venda”, disse o vendedor Evaldo de Andrade.