• Outubro de 2017
Home / Notícias

Franquias de comida nordestina rendem até R$ 210 mil por mês

O Nordeste é um mercado em franco crescimento no Brasil e destaca-se, nesse movimento, a ascensão das franquias na região. Enquanto o setor de franchising cresceu 15% nos últimos três anos em todo o País, a região aumentou sua participação em 32%, segundo dados da ABF (Associação Brasileira de Franchising).

Dentro desse cenário, o segmento de Alimentação permanece como um dos mais expressivos e consolidados e, isoladamente, é o principal em receita, com maior fatia na composição do faturamento total. De acordo com a ABF, em 2014, o segmento faturou R$ 25,635 milhões, o equivalente a 20,1% da receita total do setor, que atingiu R$ 128 bilhões.

Em meio a essa ascensão, algumas empresas alimentícias do Nordeste vêm ganhando força e expandindo para outras regiões do Brasil, primordialmente pelo sistema de franquias. Para o diretor da ABF Nordeste Leonardo Lamartini, o crescimento do mercado de culinária nordestina está só no começo. “Este é um nicho ainda não muito explorado, mas com um potencial grande. Fora do Nordeste há muito espaço nas grandes cidades, como Brasília e São Paulo”, diz.

O contador e empresário Cleber Teixeira, 39 anos, enxergou essa oportunidade de negócio em 2003, quando criou, junto com um sócio, a marca Brasil Vexado, em Brasília. Com um know-how adquirido em anos de trabalho com seu pai, proprietário de um restaurante nordestino na região centro-oeste, Teixeira abriu a primeira franquia da rede em 2012. Atualmente, existem nove lojas espalhadas por Brasília.

Com um cardápio que vai de carne de sol e macaxeira a tapioca e cuscuz, a Brasil Vexado oferece três modelos de franquias que custam de R$ 198 mil a R$ 525 mil e podem gerar um faturamento mensal de R$ 140 mil, segundo a marca.

O empresário destaca a alta demanda do produto, principalmente da carne de sol, que é bastante conhecida no Brasil. “Assim como queijo coalho e a tapioca, a carne de sol, é disseminada no País todo. Recebemos e-mails [interessados em abrir franquias] do Brasil todo, especialmente da região Sul e Sudeste”, diz.

Outro ponto ressaltado é a falta de concorrência nesse segmento nas regiões mais para o sul do Brasil. “O mercado ainda é virgem. Você encontra em alguns lugares lojas próprias de comida nordestina, mas não uma rede de franquias. Normalmente, encontramos carne de sol e queijo coalho em barracas de rua, não dentro do shopping”, afirma.

A empresa quer estar presente no Brasil todo nos próximos cinco anos. “No Nordeste existe muita demanda, mas também maior concorrência. Nosso foco agora é Brasília, Goiânia e, posteriormente, sul e sudeste. Em cinco anos, queremos alcançar todo o Brasil”, conclui o empresário.

Demanda é alta mesmo no Nordeste

A demanda no Nordeste é a razão do sucesso de Carla Carneiro da Cunha, 29 anos, dona de uma franquia da marca fast food de culinária nordestina Bebelu Sanduíches, fundada em 1986, em Fortaleza.

Atuando como rede de franquias desde 2004, a empresa já está presente em treze estados brasileiros. A loja de Carla, localizada em Petrolina, Pernambuco, foi aberta em 2008 com um investimento inicial de R$ 450 mil e atualmente fatura, em média, R$ 170 mil por mês, de acordo com a empresária.

A ex-dona de um restaurante local conta que o produto foi crucial para que ela entrasse no mercado de franchising. “Fui pesquisar sobre franquias [no ramo] de alimentação e vi que o sanduíche é bem artesanal, por isso decidi investir”, diz.

Prestes a abrir sua segunda franquia da marca, Carla vê potencial de mercado e tem ambições. “Atualmente estou focada no Nordeste, mas existe muita demanda do produto [no Brasil]. Por isso, com certeza, futuramente penso em expandir para outras regiões”.

Veja opções de franquias na área:

Brasil Vexado
Investimento inicial: Loja de rua – R$ 524.500 / Loja de Shopping – R$ 478 mil / Loja Delivery – R$ 198 mil
Prazo de retorno: 24 a 36 meses
Faturamento médio mensal: R$ 140 mil
Site: http://www.brasilvexado.com.br/

Bebelu Sanduíches
Investimento inicial: a partir de R$ 45 mil (não inclui equipamentos e taxas extras)
Prazo de retorno: 18 a 24 meses
Faturamento médio mensal: R$ 95 mil
Site: http://www.bebelu.com.br/v02/

A Porteira
Investimento inicial: R$ 100 mil (não inclui equipamentos, estoque e taxas extras)
Prazo de retorno: 17 a 29 meses
Faturamento médio mensal: R$ 150 mil a R$ 210 mil (com lucro líquido de 12% a 15,50%)
Site: http://www.aporteira.com.br/

*Custos poderão variar em função do tamanho da unidade, localização e custos operacionais.

Fonte: Terra