• Novembro de 2017
Home / Notícias

Notícias

5 problemas que podem transformar sua franquia em um pesadelo

Apesar da crise, o mercado de franquias continua crescendo. Em 2014, apresentou alta de 7,7% no faturamento, chegando a R$ 127 bilhões. As franquias estão, também, se tornando opção para quem sai do mercado de trabalho. Com menos vagas disponíveis, mais pessoas optam por abrir o próprio negócio.

No meio da empolgação, no entanto, muitos empresários ignoram algumas questões importantes que precisam ser esclarecidas antes da assinatura do contrato. Os especialistas em franquias Diego Simioni, sócio-fundador da Goakira, e Lyana Bittencourt, do Grupo Bittencourt, contam os aspectos mais importantes na hora de investir.

1. Território

Para que as várias unidades de uma rede não estejam muito próximas, prejudicando o resultado, a franqueadora faz uma definição de território de atuação. Segundo Simioni, a maioria das redes trabalha com preferência e não mais com exclusividade, ou seja, se uma nova loja for aberta o franqueado que já está na região recebe a proposta de ser dono também. “A recomendação é que o franqueado questione quais são os critérios que a franqueadora leva em conta para abrir outra unidade no território de preferência e qual o prazo para exercer o poder de compra da unidade”, diz.

2. Capital

É comum que as redes de franquias divulguem um valor de investimento inicial em seus materiais informativos. Se o empreendedor tem R$ 200 mil, ele não deve procurar uma franquia deste valor, pois existem custos adicionais que não estão na conta. “O investimento que é divulgado não leva em consideração o ponto, por exemplo. O franqueado precisa estar muito atento, já que lojas em shopping podem sair bem acima deste valor”, afirma Simioni.

3. Reformas

Outro custo que está escondido é o de reformas. Muitas vezes, o ponto tem uma boa localização, mas vai exigir um grande investimento em reformas. “É importante verificar se franqueador está divulgando uma estimativa de gasto com reforma? A obra pode ser uma caixa de surpresa”, afirma o consultor.

Outra questão envolvendo reformas é o atraso. “É importante sempre se manter mais conservador na estimativa de abertura. Se a obra atrasar, ele não vai abrir e precisa ter capital para aguentar esse tempo. Já vi franqueados se endividando para terminar obras”, diz Lyana.

4. Royalties e despesas

Na hora de escolher a franquia, muitos empresários se iludem com marcas que não cobram royalties. Segundo Simioni, é importante ter cuidado, já que este valor muitas vezes está embutido no custo da mercadoria. “É importante que ele faça uma análise que considere não só os royalties, mas também a margem que vai ter”, diz. Além disso, certifique-se de todas as taxas cobradas. Algumas marcas, por exemplo, cobram por visitas de campo não previstas.

Além disso, existem despesas operacionais que ficam de fora da projeção de muitos franqueados. “Se a franqueadora não está na mesma cidade, existe uma despesa de deslocamento para treinamentos, por exemplo. Outro item que vejo pouco nas avaliações financeiras são as despesas com turnover e benefícios”, afirma Lyana.

5. Ponto comercial

Mais do que a reforma, é importante ter atenção redobrada no contrato do ponto comercial. “Muitos franqueados enfrentam problemas porque perdem o prazo de renovação contratual do shopping, por exemplo”, diz Lyana. Negocie clausulas de transferência, caso precise repassar o ponto, e condições de renovação.

Fonte: Revista PEGN

Posts Recentes