• Novembro de 2017
Home / Notícias

Notícias

Vendas de carros caem 19% no ano em relação a 2014

O mercado de veículos novos segue em desaceleração na comparação com o ano passado, que já não foi bom para o setor. A soma dos licenciamentos neste ano, até terça-feira, de 864,1 mil unidades, representam queda de 19% em relação ao mesmo período de 2014, com 1,068 milhão de unidades vendidas.

Até o fim do primeiro trimestre a queda acumulada estava em 17%, desempenho que levou a maioria das grandes montadoras a responsabilizarem o mercado brasileiro pelo fraco desempenho em seus balanços globais divulgados nesta semana. A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea projeta redução de 13% para as vendas no ano inteiro, mas várias consultorias esperam queda de 15% a 20% ante as 3,498 milhões de unidades vendidas em 2014. Até o dia 28, o resultado de abril é 25,6% menor do que o de igual mês do ano passado, com 190,1 mil unidades licenciadas, segundo dados preliminares obtidos no mercado.

As montadoras projetam para o mês todo vendas de 215 mil automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. Cerca de 30% desse volume será de vendas a frotistas (empresas e locadoras e o restante para clientes comuns. Se confirmado, será o pior resultado para o mês de abril desde 2009, quando as vendas somaram 234,3 mil unidades. “Havia uma expectativa de melhora para abril em razão dos vários lançamentos, mas os resultados do mês não mostram isso”, diz o economista da LCA Consultores, Rodrigo Nishida.

Entre as novidades do setor apresentadas a partir de março estão os utilitários-esportivos HR-V, da Honda, Renegade, da Jeep e o Peugeot 2008. Promoções feitas durante todo o mês, como feirões e financiamentos com juro zero também não surtiram o efeito esperado. O fraco desempenho do primeiro quadrimestre e a expectativa de queda significativa para o ano levam as principais montadoras a adotarem ações para cortar a produção, como suspensão de contratos de trabalho (lay-off), férias coletivas, banco de horas e programas de demissão voluntária (PDVs). Só neste ano, até março, as montadoras fecharam 3,6 mil postos de trabalho.

As fabricantes de autopeças, por sua vez, projetam que, ao longo do ano, vão eliminar 17 mil vagas. Disputa acirrada Somente em automóveis e comerciais leves foram vendidos em março 183,5 mil unidades, 24,8% a menos que em igual mês do ano passado. A Fiat manteve-se na liderança das vendas, com 18,2% de participação, seguida por General Motors, com 16,3% e Volkswagen, com 15,1%. Até terça-feira, a disputa entre os modelos pela liderança em vendas no mês estava acirrada, com diferença de 165 carros entre o primeiro lugar (Hyundai HB20, com 7.776 unidades e o quarto (Chevrolet Onix, com 7.611). No meio estão Fiat Palio (7.737 e Strada (7.675).

Posts Recentes