• Outubro de 2017
Home / Notícias

Receita de vendas do varejo tem alta real de 3,3% em março, diz Cielo

São Paulo, 14 - A receita de vendas do varejo brasileiro cresceu em março, revertendo queda registrada em fevereiro. De acordo com o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA), o comércio varejista brasileiro apresentou alta de 3,3% em março sobre março de 2014, descontada a inflação, e indica melhora na comparação com o mês anterior, quando houve retração de 2,4%.

Essa reversão, de acordo com a pesquisa, é reflexo de efeito calendário e da inflação em companhias aéreas no período. Com ajustes em relação aos feriados e troca de dias, março teria crescido 1,6%, contra 0,2% em fevereiro no mesmo conceito. "Se, além disso, ainda desconsiderássemos o resultado das companhias aéreas, o ICVA deflacionado teria registrado alta de 0,8%, frente a 0,9% em fevereiro", informa o relatório divulgado nesta terça-feira, 14.

O deslocamento do carnaval de março, em 2014, para fevereiro, em 2015, beneficiou o mês em 2,7 pontos percentuais. Já a troca de um sábado por uma terça-feira prejudicou o resultado em 1,2 ponto porcentual. Além disso, a Páscoa teve um leve impacto positivo - de 0,2 ponto porcentual - em alguns setores na última semana de março, principalmente no segmento de Varejo Alimentício Especializado, quanto às lojas de chocolate.

Quanto à inflação, ao passo que o IPCA teve alta de 8,1% no acumulado dos últimos 12 meses, os preços dos setores que compõem o ICVA cresceram abaixo, 5,4%, segundo o informe. A alta no setor de energia elétrica, cujo preço subiu 60,4% no período, não impacta diretamente o índice, explica a equipe de coordenação. Por outro lado, a deflação de 21,4% no setor de companhias aéreas beneficiou significativamente o ICVA deflacionado.

Por setor, em março os destaques foram agências e operadores de viagens e drogarias e farmácias, enquanto lideraram as variações negativas os segmentos de móveis e decoração e materiais para construção. Na comparação de março com fevereiro, hotéis e varejo alimentício em geral apresentaram a maior aceleração.

Por região, o Norte tem a maior alta de março, 3,9% no ICVA deflacionado em relação a março de 2014, seguido por Nordeste (3,0%), Sudeste (3,4%), Centro-Oeste (2,2%) e Sul (2,0%).

No primeiro trimestre, o ICVA cresceu 1,3% ante igual período de 2014, descontada a inflação, porcentual este que indica desaceleração das vendas do varejo sobre o quarto trimestre do ano passado, quando o ICVA deflacionado cresceu 3,2%.

O mesmo se aplica na análise do índice nominal, que no primeiro trimestre apresentou alta de 7,5% ante 9,4% de crescimento do quarto trimestre de 2014, ambos na comparação com os mesmos períodos do ano anterior.

A maioria dos setores apresentou desaceleração em relação ao quarto trimestre de 2014. Por região, o Norte continuou liderando, com alta de 3,0% no primeiro trimestre ante igual intervalo de 2014.