• Outubro de 2017
Home / Notícias

Inovação no Varejo: é possível?

Frente aos desafios de fazer negócios no Brasil, como logística e transportes, cargas tributárias, ambiente regulatório, dentre outros, o Varejo brasileiro se mostra muito criativo e inovador. Para chamar a atenção do cliente, atualmente, ocorre uma nova onda de inovação em diversos segmentos associada a dois fatores fundamentais: a rápida evolução tecnológica e a transformação do perfil do consumidor. Por isso, os varejistas estão explorando essas realidades para criar vantagens e oferecer novas experiências que encantem seus consumidores.

Gabriel Brigidi, especialista em inovação que atua com Desenvolvimento de Negócios na ThoughtWorks Brasil, explica que no Brasil, os líderes estão cada vez mais se familiarizando com esses novos paradigmas e buscando alternativas para inovar na experiência do consumidor. Há, contudo, muitas empresas cujo principal desafio ainda é eficiência e produtividade interna do negócio. De maneira geral, varejistas que quiserem liderar a inovação no Brasil devem abraçar as oportunidades e enfrentar os desafios que delas decorrem.

“Um dos principais desafios para a inovação é a mudança do modelo mental. Para se tornar inovador neste mercado, as soluções e abordagens precisam mudar”, diz o especialista. “Muitos varejistas se dizem inovadores, porém, ainda tendem a preservar sistemas legados complexos, usar soluções de prateleira em áreas de grande potencial de diferenciação competitiva, manter estruturas organizacionais em silos, executar projetos de maneira tradicional, e isso impõe barreiras à inovação e à criação de experiências realmente diferenciadas entre consumidor e marca”, completa.

O novo consumidor quer ser engajado por um propósito, ser tratado de forma personalizada, e ter uma experiência de compra agradável e diferenciada. Quer ser protagonista de seu consumo. “Um exemplo deste tipo de engajamento é da Domino’s Pizza, na Austrália. Com um conceito de “crie uma pizza e recebe um pedaço do lucro”, o Pizza Mogul permite aos consumidores criarem a sua receita e a disponibilizarem para venda no menu da Domino’s. A cada pizza vendida, o cliente ganha uma moeda virtual (Mogul Dough), que pode ser trocada por dinheiro, usado em novas compras ou doada para instituições de caridade”, conta Brigidi. Este exemplo traz um novo modelo de negócios com um propósito superior, que permite um relacionamento muito diferenciado com a marca.

Inovação de verdade significa sair da zona de conforto. Envolve mudanças de paradigma, transformações estruturais. E é para este caminho que o Varejo se direciona. Brigidi acredita que o futuro pertence àquelas empresas que conseguirem continuamente ser criativas e reinventar seu negócio, descobrindo e explorando as oportunidades emergentes. “Veremos varejistas corajosos sendo pioneiros, enquanto outros hesitarão e ficarão para trás. Sabemos, contudo, que coragem o Varejo brasileiro tem de sobra. A grande questão é: em que capítulo da história cada empresa deseja estar?”, questiona o especialista.