• Outubro de 2017
Home / Notícias

Crédito mais caro projeta fraco desempenho do comércio em 2015, diz CNC

A situação do comércio varejista do país deverá repetir, em 2015, o fraco desempenho de 2014, quando as vendas do setor ficaram em apenas 2,2%, o pior resultado desde 2003.

A expectativa é da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e de Turismo (CNC) baseada na Pesquisa Mensal do Comércio (PMC). Os dados foram divulgados hoje (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em dezembro, comparado ao desempenho de novembro do ano passado, houve uma queda nas vendas do comércio varejista de 0,26%.

Segundo a CNC, o desempenho será consequência de um "mercado de trabalho fraco em decorrência de reajustes nos preços administrados e da tendência de encarecimento do crédito ao longo de 2015".

Para a confederação, essa conjunção de fatores impedirá a recuperação das vendas, que deverão fechar 2015 com crescimento de 1,7%, ainda menor que no ano passado. Para a Divisão Econômica da CNC, o resultado das vendas em 2014 - o pior em 11 anos - é consequência do encarecimento do crédito ao longo do ano e do reajuste dos preços administrados a partir do quarto trimestre, uma vez que os preços no varejo cresceram menos no ano passado (6,1%) do que em 2013 (7,3%)".

Para o economista da CNC Fabio Bentes, a expectativa da confederação de que o volume de vendas feche o ano com avanço de 1,7%, mantem a trajetória de desaceleração ante ao ano anterior. "Apesar do ritmo menos intenso da inflação dos bens comercializáveis, a maior pressão oriunda dos reajustes nos preços administrados e a tendência de encarecimento do crédito ao consumidor ao longo de 2015 impedirão a recuperação das vendas ao longo do ano".