• Agosto de 2018
Home / Cases

Cases

De lojistas a donos de empresa de tec...

De lojistas a donos de empresa de tecnologia

A internet pode ser a primeira experiência de vendas para quem está começando a empreitada como empreendedor. Foi assim que, aos 21 anos, os jovens Frederico Flores e Fernando Montera Filho começaram uma loja de eletrônicos importados e se tornaram um dos maiores vendedores do Mercado Livre. Com a chegada de muitos concorrentes e sem expectativa de crescimento, eles desistiram do negócio e se reinventaram.

Em 2012, criaram a startup Ecommet – adquirida recentemente por R$ 36,5 milhões pelo próprio Mercado Livre - para solucionar os problemas que tinham quando eram vendedores e desenvolveram uma tecnologia que disponibiliza diversas ferramentas que automatizam e otimizam as vendas em shopping virtuais. Com o passar dos anos reuniram mais de 2,5 mil clientes e se tornaram a maior plataforma para gestão de vendas em marketplaces do Brasil. "Começamos como vendedores de eletrônicos, chegamos a prestar consultoria para lojistas digitais, mas enxergamos que só iriamos crescer em escala se nos tornássemos uma empresa de tecnologia que oferece recursos para ajudar outros empreendedores", comenta Frederico Flores.

DNA empreendedor

Ainda na faculdade os dois empreendedores já se aventuravam na internet. Frederico vendia cursos de DJ no Rio Grande do Sul e Fernando vendia games em São Paulo. Em um bate papo informal durante um jogo de futebol descobriram que tinham muita coisa em comum e se tornaram sócios. "O negócio de vendas de eletrônicos importados começou como uma brincadeira, pensávamos apenas em ter uma renda extra", lembra Fernando Montera. "Nós não esperávamos esse crescimento acelerado", completa Frederico. Em pouco tempo, a loja no Mercado Livre começou a faturar R$ 300 mil por mês.

Já como consultores, eles se surpreenderam com os resultados do primeiro cliente: em menos de um ano elevou o faturamento de R$ 30 mil por mês para R$ 600 mil por mês. Com o sucesso, conseguiram muitos outros clientes, mas a escalabilidade do negócio era um problema. Diante disso, reinventaram novamente o negócio: em 2012 lançaram um sistema para gestão de vendas em marketplaces conhecido como Becommerce – que hoje fatura milhões. 

Venda para o Mercado Livre

A Ecommet começou com capital dos sócios de R$ 40 mil, ao longo da caminhada empreendedora eles tiveram propostas de investimentos, aportes e até ofertas de compra da startup vindo de diversas empresas, mas decidiram esperar e continuar crescendo "por conta própria". Até que no final de 2017, aceitaram a negociação com o Mercado Livre e venderam o negócio, de menos de 6 anos, por R$ 36,5 milhões.


Posts Recentes