• Outubro de 2017
Home / Cases

De médico a vendedor de brinquedos

O pediatra Ricardo Sayon possuía um imóvel que só causava estresse e prejuízo, até que, impulsionado pelo fato de gostar de crianças, ele teve a ideia de comprar brinquedos para revender. Nascia, assim, a Ri Happy — uma das maiores redes varejistas de brinquedos do País.

Na época da fundação da loja, em 1988, Ricardo não imaginava que alcançaria o atual patamar de sucesso. Muito pelo contrário: seu primeiro empreendimento trouxe apenas prejuízo. Ele e seu sócio chegaram a inaugurar quatro lojas, o que acentuou mais ainda os resultados negativos.

Convencido de que sua empreitada foi uma decisão equivocada, Ricardo voltou ao fornecedor dos brinquedos com a intenção de devolvê-los e fechar suas lojas. Porém, o empresário foi convencido de que o mercado era promissor, e de que o que faltava para o sucesso eram estratégias empresariais mais assertivas.

Assim, Sayon e seu sócio decidiram inovar e definiram um novo posicionamento varejista e uma nova cultura corporativa que se tornou o ponto de partida para o sucesso absoluto da empresa.

Ri Happy, venceu suas dificuldades e se tornou uma das maiores referências empresariais do Brasil, com 114 lojas e um faturamento médio de R$ 800 milhões por ano.



Lições da Gestão Empresarial de Ricardo Sayon

Confira, abaixo, algumas das principais lições que podemos aprender a partir da história deste grande empresário:

Envolvimento dos colaboradores

Ricardo enxerga seus profissionais mais do que simples funcionários: ele considera-os parceiros. Deste modo, faz questão de que todos estejam envolvidos diretamente com os projetos da empresa, de modo que se sintam uma parte importante para o crescimento da organização.

Reconhecimento e enaltecimento

Como gestor e líder, Sayon reconhece o valor do empenho e da dedicação de seus liderados, compreendendo que são todos entregam o melhor de si diariamente. Além disso, Ricardo sabe que a força de sua empresa está nas pessoas, e enaltece o trabalho de todos com campanhas e premiações.

Criação de valores

Mais do que vendedora de brinquedos, a Ri Happy se tornou uma prestadora de serviços. Muito mais do que simplesmente comercializar um produto, ela passou a se interessar pelo cliente, tanto os pais como as crianças. Aproveitando seus conhecimentos como pediatra, Ricardo ensinou seus colaboradores sobre a evolução das crianças e o desenvolvimento de suas habilidades de acordo com a idade. Desta forma, todos os funcionários se tornaram aptos a orientar sobre os brinquedos mais adequados para cada tipo de consumidor.

Fortalecimento da cultura organizacional

O alinhamento de comunicação é determinante para gerar uma cultura organizacional vencedora. Nesse sentido, Sayon utiliza do endomarketing para manter todos os funcionários das 114 lojas bem informados sobre todas as questões referentes à Ri Happy. Assim, todos compartilham dos mesmos valores e caminham na mesma direção.

Redução de turnover

Com estratégias de gestão pautadas em processos humanizados e produção de resultados sustentáveis, Ricardo conseguiu reduzir significativamente o índice de turnover.

Fonte: http://www.ibccoaching.com.br/portal/ricardo-sayon-conheca-a-historia-do-criador-da-loja-de-brinquedos-ri-happy/