• Novembro de 2017
Home / Cases

Cases

Kipling

home.jpg

Suas bolsas, mochilas e acessórios agradam principalmente o público mais jovem, com design arrojado, funcionalidade e durabilidade, características exclusivas da marca. Experimente andar em qualquer lugar e encontrará um despojado macaco pendurado em alguma bolsa ou mochilas. Saiba que é um produto KIPLING, uma marca que além de esportiva está se tornando uma grife fashion. A marca tem muito apelo entre as crianças, adolescentes em idade escolar e jovens mulheres, que cresceram carregando uma mochila KIPLING nas costas.

A história

A KIPLING foi fundada em 1987 na cidade belga de Antuérpia por Xavier Kegels e Paul Van de Velde, um engenheiro marítimo que tinha como idéia original criar uma linha de mochilas de nylon de ótima qualidade, confortáveis e funcionais, com um estilo único, e toques de diversão e aventura. Depois de conseguir US$ 300 mil com investidores, ele começou a fabricar as mochilas escolares para crianças e vendê-las para lojas da cidade.
01.jpg
O nome KIPLING surgiu quando os designers estavam procurando uma palavra que não significasse nada em língua nenhuma e fosse fácil de pronunciar no mundo inteiro. O nome escolhido para a marca foi o sobrenome do escritor britânico Jospeh Rudyard Kipling, autor de “O Livro da Selva” (The Jungle Book), que se tornou internacionalmente um clássico para crianças também conhecido pelo seu personagem principal: o pequeno Mogli. Foi também deste livro que surgiu a idéia do famoso macaco (chamado de Kipling Monkey), que virou a grande referência da marca entre os consumidores.

Rapidamente a marca introduziu outros produtos, proporcionando ao consumidor diversas opções entre bolsas, malas, frasqueiras, mochilas, carteiras, estojos e nécessaires, estabelecendo um estilo próprio através do design inovador, original e inconfundível. Um enorme passo para internacionalização da marca foi dado em 1993, quando os produtos KIPLING começaram a ser distribuídos nos Estados Unidos. Nos anos seguintes a empresa cresceu rapidamente no cenário internacional e se tornou uma marca global, especializada em bolsas e mochilas, mas também vendendo outros acessórios como sandálias, chaveiros e armações de óculos. Nesta década a marca passou a ser popular em países como Holanda, Itália e França, conquistando cada vez mais consumidores.
03.jpg
Em 1997, a marca desembarcou oficialmente no Brasil trazendo junto com seus produtos o macaquinho, símbolo da marca, que conquistou crianças, adolescentes e adultos em todo o mundo. A unidade brasileira ocupa uma posição de prestígio para a empresa. Em termos de faturamento, está posicionada como uma das três maiores do mundo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos e da Itália. Desde 2004, a KIPLING pertence ao grupo americano VF Corporation, que na época pagou US$ 180 milhões pela marca de bolsas e acessórios.
Após a venda, a marca vem apostando fortemente no desenvolvimento de produtos e design modernos, com suas campanhas publicitárias tendo um apelo de moda e não mais focadas em crianças e animais como acontecia antes. 

Um dos modelos de maior sucesso da marca é o Fundamental, mochila com alças reguláveis, dois zíperes em diagonal na frente e um lateral, além do chaveiro de macaquinho. Este artigo tem mais de dez anos e é um dos mais vendidos em todo o mundo. Outro modelo que faz bastante sucesso é a Backtroll, uma mala com rodinhas para viagem. Em 2006 a marca começou a anunciar nas mais badaladas revistas de moda na Europa.

Apesar do sucesso da marca, em 2007, a KIPLING decidiu que era hora de mudar. “Queremos torná-la mais fashion”, disse o inglês Richard Macey, presidente mundial da empresa, “A partir de agora a KIPLING será uma grife mais contemporânea”, completou ele. As bolsas de náilon coloridas continuaram a existir, mas uma nova linha foi adicionada ao portfólio de produtos. A marca começou a produzir itens a partir de materiais como couro e jeans e decidiu usar estampas mais ousadas. Os macacos, símbolos indefectíveis da grife, ganharam versões feitas de plástico e metal. As lojas foram reformuladas e passaram a ter um visual mais limpo e moderno. Para reforçar a nova imagem, a marca participou pela primeira vez da São Paulo Fashion Week, evento de moda mais badalado do Brasil. No desfile da estilista Glória Coelho, modelos carregaram uma versão revisitada das bolsas KIPLING, feita de couro. No lugar do macaco de pelúcia, a marca exibiu um pequeno gorila de metal. A marca recentemente investiu também em desfiles na Bélgica e na França. A prioridade agora é ampliar a oferta de produtos. Por esse motivo, a cada estação, 250 novos itens são lançados no mercado.

A estratégia deu resultado. Em 2008, projeções indicavam um aumento de vendas da ordem de 50%. A mudança de estratégia tem a ver com a própria evolução de seus clientes, que têm dado preferência a produtos mais descolados e com menos cara de adolescente. Um dos fatores do imenso sucesso da KIPLING pode ser creditado a Isabelle Chéron, que desde 2006 assumiu o cargo de diretora criativa da marca, e passou a lançar coleções assinadas por renomados designers como a estilista brasileira Glória Coelho, a belga Cathy Pill, as espanholas Anna e Macarena da El Delgado Buil, Girls from Omsk (Bélgica), a cantora Fergie da banda Black Eyed Peas e o britânico Peter Pilotto.
mascote.jpg
O mascote

Porque pendurar um macaco em suas bolsas? Porque quando você pensa na marca KIPLING, pensa no macaco. Afinal de contas o macaco é um símbolo de diversão, irreverência e aventura, principais características dos produtos KIPLING em seu lançamento no mercado. No início, o macaco da KIPLING existia apenas em seu logotipo.

Mais tarde, porém, ele se tornou um personagem, e passou a ser um acessório dos produtos da marca, o que contribuiu para aumentar seu carisma entre seu público em todo o mundo. Todos os modelos de macacos lançados pela empresa, mais de 430 modelos diferentes, são batizados com nomes de seus funcionários.

A marca no mundo

Hoje em dia, a KIPLING comercializa seus produtos em mais de 65 países ao redor do mundo, encontrados em mais de 4.200 pontos de venda e 230 lojas próprias em cidades como Paris, Londres, Tóquio, Hong Kong e São Paulo. Somente a coleção básica da marca conta com setenta modelos de bolsas. Toda a produção da empresa, aproximadamente 6 milhões de peças por ano, é feita em fábricas localizadas na China. O trabalho de criação dos modelos é realizado na sede da empresa, na cidade de Antuérpia. A cada minuto são vendidas 28 bolsas da marca no mundo.

Você sabia?

Mais de 40 milhões de pessoas no mundo tem pelo menos uma bolsa da marca KIPLING. Na Bélgica, onde fica a sede da empresa, existem mais bolsas KIPLING do que pessoas.


Por Blog Mundo das Marcas - www.mundodasmarcas.blogspot.com.br
Fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).

Posts Recentes