• Outubro de 2017
Home / Artigos / Operações

Equipamentos que todo varejo deve ter

Embora o comércio venha passando por um período de grandes mudanças e inovações, uma coisa ainda é certeza: a tecnologia tem o potencial de alavancar muito as vendas e facilitar (além de baratear) a administração de um varejo. Com a automação comercial é possível agilizar processos, reduzir custos e proporcionar um serviço cada vez melhor para seus clientes. Mas, para isso, é preciso saber quais equipamentos não podem faltar no seu negócio. Confiras as nossas dicas e comece a vender mais - e melhor - agora mesmo!

Necessidades que variam dependendo do ramo do varejo

O primeiro ponto para saber quais equipamentos são fundamentais para o seu negócio é justamente ter uma compreensão muito clara de qual é o seu ramo de atuação. Pode parecer óbvio, mas entender bem o que você vende é essencial para saber, por exemplo, se você necessita ou não de máquinas de resfriamento.

Exemplificando: se o seu negócio é uma confeitaria, não há porquê ter um freezer para carnes; já no caso de um minimercado, contar com balanças e diversas gôndolas é muito importante. Portanto, entender a natureza da sua empresa e saber no que focar seus investimentos faz com que você consiga planejar melhor a compra de equipamentos e tecnologias que, no fim das contas, ajudarão sua empresa a lucrar mais.

Equipamentos fundamentais na maioria dos negócios

Mas isso não quer dizer que não existam aqueles itens mais gerais, que se aplicam à maioria dos casos e ajudam grande parte dos varejos a terem mais agilidade e eficiência. Um exemplo são os terminais de consulta, equipamentos que precisam ficar distribuídos no espaço físico da sua loja, com fácil acesso, e que permitem que seus clientes verifiquem o preço do que pretendem comprar. Além dele, especialmente no local de check-out do cliente (o famoso caixa), existem aparelhos que atuam no processo de finalização da compra e podem ser utilizados por quase todos os tipos de varejo.

Geralmente o caixa, também chamado de ponto de venda (PDV) precisa contar com equipamentos como leitor de código de barra, impressoras comerciais, computadores (e, em alguns casos, periféricos como teclado, mouse, câmera etc), softwares de gerenciamento e atendimento, entre outros itens. Abaixo você conhece um pouco mais da importância de cada um deles.

Leitor de código de barras

Podem possuir características diversas, como serem fixos ou móveis e funcionarem com ou sem fio. No entanto, sua função é geralmente a mesma: proporcionar que o computador faça uma leitura rápida e confiável dos códigos de barras dos produtos, cheques e outros documentos. Portanto, é peça indispensável.

Impressoras comerciais

Essas máquinas ganharam bastante atenção recentemente com a obrigatoriedade da chamada NFC-e (Nota Fiscal Comercial Eletrônica) nos varejos do Brasil. Portanto, hoje, além de contar com uma impressora eficiente e econômica para imprimir os comprovantes fiscais dos seus clientes, é fundamental ter um aparelho que suporte a tecnologia da NFC-e. Uma dica que pode ser um diferencial no cotidiano da sua empresa é optar por uma impressora versátil e que possa produzir cupons fiscais, etiquetas, cartões e cheques, por exemplo.

Computadores

Embora os computadores dedicados a PDVs não precisem ser máquinas muito poderosas, é importante que eles tenham configurações que garantam uma performance satisfatória - afinal, poucas coisas irritam mais um cliente do que lentidão no caixa. Por isso, é preciso ter atenção para que esses PCs tenham os componentes certos para rodar todos os softwares (saiba mais sobre eles no próximo item) que sua empresa necessita. Além disso, periféricos de qualidade, como monitores LCD, no-breaks, teclados programáveis, entre outros, embora não sejam itens básicos, ajudam a complementar e qualificar o atendimento.

Softwares

Além de equipamentos e máquinas, alguns programas (softwares) também podem facilitar bastante a vida de quem administra ou trabalha em um varejo. Por exemplo, um software de CRM (Customer Relationship Management, na sigla em inglês) é responsável por automatizar e agilizar o gerenciamento de todo o relacionamento da empresa com o cliente. Outra dica é ter um software de ERP (Enterprise Resource Planning), que auxilia no planejamento e gestão de recursos da empresa através da integração de diversos dados, como custos e lucros.

Apesar de simples, esses poucos equipamentos já têm o potencial de fazer uma grande diferença na lucratividade de um comércio, trazendo mais agilidade e otimizando gastos. E além da automação comercial, a mobilidade corporativa é outra tendência que vem crescendo e logo será uma realidade afirmada, pois proporciona ainda mais autonomia e rapidez para atender clientes de forma mais abrangente. O futuro do varejo é, cada vez mais, automatizado!

Fonte: Automatech